#VÍDEO – Paciente que denunciou médico da UPA conta detalhes do caso

6524

O Jornal Cidade conversou com a babá Fernanda da Silva Guedes que na última sexta-feira (5) registrou um boletim de ocorrência contra um médico que estava de plantão na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), da Avenida 29, no Bairro do Estádio. Fernanda alega que o profissional negou atendimento aos pacientes que aguardavam no local e que no momento do plantão ele utilizava as redes sociais e o celular para assuntos pessoais.

Diante do ocorrido a Fundação Municipal de Saúde decidiu afastar o médico completamente de suas funções. O Jornal Cidade tentou contato com o profissional mas até o momento não conseguiu localizá-lo.

Confira na íntegra a nota oficial da FMS:

Uma paciente registrou boletim de ocorrência na Polícia Militar contra um médico que, na noite de sexta-feira, estaria se recusando a atender os pacientes e vendo notícias no computador em sua sala na Unidade de Pronto Atendimento da Avenida 29 (UPA), local onde diariamente são realizados mais de 500 atendimentos. O médico pertence ao quadro de profissionais da empresa que realiza serviços de plantão médico na rede municipal de saúde.

Logo após ser informado sobre o episódio pelo secretário municipal de Saúde interino, Antonio Archangelo, o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, determinou o imediato afastamento do médico de suas funções.

O afastamento até que os fatos sejam apurados se deu amparado em lei municipal, de autoria de Juninho, que proíbe o uso de celulares e outros meios eletrônicos para uso recreativo por profissionais de saúde durante o expediente.

A empresa que presta serviços de plantão médico acatou a determinação do prefeito e substituiu o profissional na escala de trabalho. “Nosso compromisso é com o bom acolhimento e qualidade no atendimento da população”, afirmou o prefeito, ressaltando que de maneira geral os profissionais da saúde têm seguido esta orientação. “Nesse caso em especial, que é exceção entre os milhares de atendimentos feitos diariamente na rede municipal de saúde, não podemos ainda emitir nenhum juízo de valor com relação à denúncia. Os fatos já estão sendo apurados pela Fundação e esperamos dar uma resposta à sociedade o mais rápido possível, garantindo o cumprimento de todas as leis administrativas”, reiterou Juninho.

Prefeitura e Fundação Municipal de Saúde reforçam a importância das pessoas que utilizam a rede pública de saúde de Rio Claro se manifestarem oficialmente caso tenham reclamações a fazer com relação a algum serviço prestado. Um dos canais preferenciais é a ouvidoria da Fundação de Saúde, pelo telefone 3526.7105. A ocorrência é registrada, o fato é apurado e a resposta é dada de maneira rápida e ágil.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. No Brasil, o lado sempre arrebenta do lado mais fraco, o médico doido pra tirar umas férias, apronta pra ser afastado, logo esta clinicando de novo e tudo vai pra debaixo do tapete, se correr o bixo pega se parar o bixo come, assim e a saúde, dai tenho pena dos enfermeiros e técnicos, pois esses são os verdadeiro guerreiros, e realmente fazem bem seus atendimentos, e vem os médicos q se acham só pq teve grana pra se formar em medicina, tenha q existir uma lei q desse direito a os enfermeiros clinicar, pois tem enfermeiros q entende bem mais q medico, por sua experiência d trabalho, e tratam bem o povo, são humildes como nos o povo…

  2. Quanta ignorância dessa Clesia , quando adoecer não vá em um médico ok , procure uma enfermeira !, olha só tipo de pessoa com quem estamos lidando, sem mais comentários

Qual sua opinião? Deixe um comentário: