Velo Clube joga mal e perde por 2 a 1 para o Taubaté em casa

125

Matheus Pezzotti

Jackson bateu forte e alto no canto direito do goleiro Maurício para descontar para o Velo Clube
O centroavante Jackson no momento do gol de pênalti, batido forte e alto, no canto direito do goleiro Maurício, para descontar para o Velo Clube no segundo tempo

Antes do jogo, o discurso velista era de reabilitação, mas em um primeiro tempo desastroso, o Velo Clube foi derrotado pelo Taubaté por 2 a 1, no Benitão, em jogo disputado no início da noite deste sábado (20), pela sétima rodada da série A-2.

O Taubaté marcou seus gols no primeiro tempo, logo aos dois minutos, com Bruno Aquino, que, após escanteio, subiu entre a zaga para cabecear tirando do goleiro e aos 10 minutos, com Makanaki, que recebeu lançamento pelo alto, que a zaga velista não acompanhou e bateu na saída de Guilherme para ampliar, com a bola batendo na trave antes de entrar. O Rubro-Verde descontou com Jackson, de pênalti, aos 32 do segundo tempo.

Com esta primeira derrota em casa, a segunda consecutiva na A-2, o Velo agora está em quinto lugar, com 13 pontos, enquanto que o Taubaté entrou na zona de classificação e está em sexto lugar, com 11 pontos.

O time velista volta a jogar na próxima terça-feira (23), às 20 horas, contra o São Caetano, fora de casa.

O JOGO
Logo no primeiro ataque do Taubaté, o primeiro gol do jogo. A desvantagem no placar no começo do jogo evidenciava a fragilidade do Velo Clube, principalmente no meio de campo. Aos oito, cruzamento sem marcação da direita para a esquerda, mas Danilo Sacramento isolou.

Mas aos 10 minutos, o segundo gol dos visitantes. O Rubro-Verde era totalmente dominado e mal posicionado, não conseguia trocar passes. Jogando no 4-3-3, mas aberto, não ficava com a bola, não aplicava a marcação e não criava jogadas. Quando a bola passava, batia e voltava do ataque.

O Taubaté seguiu jogando em cima, sob pressão e dominando o primeiro tempo em que o Velo Clube apenas assustou com cruzamentos e bolas paradas alçadas na área.

No segundo tempo, os times voltaram os mesmos com o Taubaté cadenciando a partida, em busca de espaços, enquanto que o Velo seguia o mesmo, mas agora, com um festival de erros de passes.

Luiz Henrique estava sem função, Niander perdendo as bolas no meio e, Jackson e Judson, sumidos em campo. Mas nem sempre, jogar com três atacantes é sinônimo de ser ofensivo e Vallim começa a fazer substituições e coloca o time no 4-4-2. Com dois meias de criação, o Rubro-Verde melhorou consideravelmente e Luiz Henrique entrou no jogo, com André Mococa agora como parceiro no meio.

E em uma enfiada de bola de André Mococa, Leleco recebeu em velocidade, entrou na área, fintou o goleiro e foi derrubado. Na cobrança, Jackson converteu batendo alto, no canto direito de Maurício.

O gol animou o Velo, que buscava o empate e começou a dominar o meio de campo e consequentemente, o ataque era mais acionado e o time pressionava o Taubaté que apenas se defendia, com chutões e desespero, conseguindo segurar o resultado até o apito final para vencer a primeira fora de casa neste estadual.

Questionado sobre o péssimo primeiro tempo e se o time sentiu as ausências do zagueiro Tiago Bernardi, suspenso e do volante Teco, lesionado, o técnico João Vallim disse que o time entrou desligado e que complicou ter sofrido os gols logo no início e que não foram sentidas as ausências.

“O time entrou desligado e sofremos os gols isso complicou, mas com as mudanças, entramos no jogo, várias enfiadas de bola e chegamos a pressionar e dominar o Taubaté, mas como eu falei, ter sofrido os gols logo no começo complicou”, analisou o treinador.

FICHA TÉCNICA
VELO CLUBE 1 X 2 TAUBATÉ
Local: estádio Benito Agnelo Castellano, em Rio Claro
Campeonato: série A-2, 7ª rodada
Gols: Jackson (pênalti) aos 32’/2T (Velo Clube) e Bruno Aquino (cabeça) aos 2’/1T e Makanaki aos 10’/1T Taubaté)
Público: 1.190 pagantes
Renda: R$ 13.730,00
Árbitro: Vinícius Furlan
Assistentes: Rafael Tadeu Alves de Souza e Luiz Fernando de Moraes
Cartões amarelos: Marquinhos e Leandro Costa (Velo Clube) e Maurício, Carlinhos, Marcelo Godri, Andrezinho, Djalma e Bruno Aquino (Taubaté)

VELO CLUBE
Guilherme; Mizael (Dedoné), Duda, Fandinho e Calixto; Niander, Marquinhos (André Mococa) e Luiz Henrique; Leleco, Judson (Leandro Costa) e Jackson. Técnico: João Vallim

TAUBATÉ
Maurício; Carlinhos, Marcelo Godri, Thiago Gomes e Andrezinho; Rai Diego, Alan Mota, Djalma (Mineiro) e Danilo Sacramento (Luciano); Makanaki e Bruno Aquino (Jorge Mauá). Técnico: Álvaro Gaia

Qual sua opinião? Deixe um comentário: