Sindicato tenta derrubar liminar no TJ

50

Ednéia Silva

Servidores fizeram assembleia sob a marquise do Paço Municipal no sábado de manhã e aprovaram a manutenção da greve
Servidores fizeram assembleia sob a marquise do Paço Municipal no sábado de manhã e aprovaram a manutenção da greve

A greve dos servidores municipais de Rio Claro continua. A paralisação foi iniciada no último dia 23 pelos funcionários das áreas de Saúde e Segurança, devido ao não pagamento de três meses de horas extras.

Nessa segunda-feira (29) o Sindmuni foi notificado oficialmente sobre a decisão do Tribunal de Justiça, que determinou a suspensão da greve até a audiência de conciliação que será realizada na sexta-feira (3). A liminar foi obtida pela prefeitura na última sexta-feira (26).

Tu Reginato, presidente do Sindmuni, explica que os advogados da entidade foram a São Paulo tentar derrubar a liminar. Segundo ele, o tribunal recebeu documentos que comprovam que os serviços continuam funcionando, além da liminar obtida pelo sindicato na Justiça local que obriga a Fundação de Saúde a aceitar a escala de serviço feita pelos grevistas para cumprir a exigência legal de manter 30% do efetivo trabalhando.

Reginato informa que vai aguardar decisão do tribunal. Caso seja arbitrada multa por descumprimento da liminar, o fato será levado a assembleia para decisão da categoria sobre o que fazer. Enquanto isso, a mobilização continua. O sindicato também tenta ampliar o movimento para outros setores, como Quadrado, Facua, Cemitério, Velório etc.

O presidente conta que na semana passada diretores do sindicato e membros das comissões de greve foram impedidos de entrar na Secretaria de Agricultura. Houve princípio de confusão. A polícia foi acionada e foi registrado boletim de ocorrência. Procurada, a prefeitura não se manifestou até o fechamento da edição impressa do JC desta terça-feira.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: