Sessão tem protesto do Uber, taxistas e sindicato

672

Carine Corrêa

Sessão ordinária da Câmara Municipal de Rio Claro lotada nessa segunda-feira (28). Manifestantes pró-Uber, taxistas e Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Rio Claro (Sindmuni) marcaram presença no plenário da Casa de Leis.

“Eu venho aqui a esta tribuna, mais uma vez, falar sobre uma situação vergonhosa protagonizada na nossa cidade. Um cidadão que vinha de Piracicaba teve seu carro guinchado e foi multado em R$ 5 mil apenas por estar cadastrado no aplicativo Uber. Como se não bastasse esse absurdo, meu assessor recebeu voz de prisão ao questionar se a fiscalização se baseava na lei ou na conivência com alguma associação. Uma associação de precipitações que só foi resolvida na delegacia. A Secretaria de Segurança do município está de acordo em perseguir trabalhadores desta forma? Espero sinceramente que isso seja revisto e essa atitude, exemplarmente punida. A quem estamos servindo nesta casa? Nós, vereadores, temos que servir ao povo. Acho importante também destacar a ação completamente intransigente da fiscalização da Prefeitura. Mesmo com o texto da lei em mãos, procedeu-se à ação arbitrária, ignorando uma lei que estava à frente do fiscal. Meu mandato defende a modernização do nosso município. Não é papel do Estado interferir nesse direito fundamental do indivíduo”, discursou Carol Gomes durante o uso da tribuna no artigo 84.

“Chegamos a um momento em que não dá para viver ser tem um consenso sobre o assunto. Morei em São Paulo durante muito tempo, tenho o aplicativo em meu celular e sou usuário do Uber. Obviamente conversando com o Sindicato dos Taxistas, Pereira, Carol, iremos chegar a um consenso. O consenso tem que prevalecer em tudo na vida. E há coerência. Chegaremos a um denominador comum que seja bom para o cidadão de Rio Claro”, defendeu o democrata Val Demarchi, líder do partido na Casa, durante o uso na tribuna, após votação da Ordem do Dia.

Luciano do Bonsucesso

“No mês de abril demos entrada em um projeto de lei que visa regularizar o Uber em Rio Claro. Por que regularizar? Porque é mais barato. Um serviço de boa qualidade, mais acessível, e com essa crise vai gerar postos de trabalho. Quem ganha é você. Tamo junto”, publicou nas redes sociais nessa segunda (28) o vereador Luciano do Bonsucesso (PR). A propositura do parlamentar é a de projeto nº 56/2017.

5 COMENTÁRIOS

  1. É simples, o que melhor atende ao interesse do cidadão ? Vereadores e Executivo estão lá para isso, defender o interesse da maioria e não para representar minorias favorecidas como os taxistas desta cidade que ocupam centenas de vagas de estacionamento no centro, cobram absurdos por uma viagem e alguns que nem trabalham e usam a licença só para comprar veículo com desconto.

  2. Liberdade de escolha.
    Temos dezenas de pizzarias em Rio Claro e não vemos ninguém brigando, dezenas de mercados e ninguém bringando por isso, e outros comercios similares.
    Por quê os taxistas não brigam com as empresas de ônibus que praticam preços menores?
    Cobrar mais barato eles não querem!
    Concorrência também não!

  3. Liberdade de escolha, eu concordo. Porém deve ser regularizado junto ao poder público, a prefeitura. Recolher ISS (imposto sobre serviços de qualquer natureza), CNDs (Receita Federal, Estadual, INSS entre outras) além da importantíssima Certidão Negativa Criminal pra que não ocorra – como ocorreu na Capital Paulista – o estupro de uma jornalista por um motorista da UBER. Simples assim.

  4. Bom dia, Pra quem fala que UBER na paga imposto analisa a pesquisa feita por o Coordenador do Suficiência Contábil, para compararmos os tributos entre os Taxistas e Uber, onde uma análise contábil indica que motorista do Uber paga pelo menos 37% a mais de tributos que taxistas ( https://suficienciacontabil.com.br/2017/03/28/motorista-do-uber-paga-mais-impostos-que-taxistas/ )
    Outra pesquisa também feita pelo portal G1 (http://especiais.g1.globo.com/sao-paulo/2015/uber-x-taxi/ )
    onde eles mostram por exemplo sobre os impostos o Uber “Não tem isenção de impostos e paga ISS como MEI (Microempreendedor individual) ou Simples a cada nota fiscal emitida.”
    e o Taxista “Taxistas têm isenção de IOF e IPI na compra de veículo e, no Rio e em São Paulo, também podem pedir isenção de ICMS e não pagam IPVA. Cooperativas e associações de táxi de São Paulo e taxistas autônomos do Rio são isentos de ISS.”
    Pesquisem antes de falarem o que não sabem.
    obrigado

Qual sua opinião? Deixe um comentário: