Santa Gertrudes abre sindicância na Saúde

64

Da Redação

Desde que assumiu a administração em Santa Gertrudes, o prefeito Rogério Pascon tinha como uma de suas prioridades melhorar o atendimento na área da saúde, e entre as metas era a informatização do sistema de saúde e, após sua implantação, diversas ações irregulares estão sendo monitoradas. Diante desse quadro e de várias denúncias, o prefeito e a secretária municipal de Saúde, Arlete Martins, determinaram que seja aberta uma sindicância para apurar as possíveis anormalidades na área da Saúde.

A informatização tem permitido o cruzamento de dados e a observação de irregularidades como: existem 55 mil cadastros na Secretaria Municipal de Saúde enquanto a população estimada é de 23 mil habitantes. Com isso, os medicamentos adquiridos com verbas públicas, que deveriam ser distribuídos a quem realmente precisa e não tem condições financeiras para adquiri-los, acabam sendo desviados para outros pacientes.

Entre os itens a serem analisados pela auditoria estão: a transcrição de receitas médicas de consultas particulares em receituários da municipalidade, onerando os cofres públicos com distribuição de medicamentos; falsificação de carimbos médicos, desvio de receituários de pedidos de exames; alteração na agenda das consultas médicas, objetivando dar licitude a atendimentos particulares.

A sindicância deverá apurar os fatos, as responsabilidades e encaminhar seu relatório ao gabinete do prefeito, ao Conselho Municipal da Saúde, à Pastoral da Saúde e ao Ministério Público, objetivando a responsabilização civil e criminal, se for o caso.

“Como previa, com a informatização na Saúde, as coisas erradas apareceram, e agora peço agilidade na apuração desses possíveis desvios, pois nós, enquanto órgão público, temos o dever de resguardar os direitos dos cidadãos, principalmente dos usuários do sistema de Saúde”, afirma Pascon. “Estamos criando mecanismos para inibir irregularidades nos serviços executados na área da saúde, a fim de preservar os moradores”, acrescenta.

Além disso, o Ministério Público determinou rígido controle no cumprimento da jornada dos servidores da Saúde, especialmente dos médicos e odontólogos. “Vamos dar ciência pessoal a esses servidores do inteiro teor da recomendação”, finaliza o prefeito.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: