Rio-clarense já “pagou” R$ 240 milhões em impostos

74

Antonio Archangelo

Dinheiro (Foto ilustrativa)
Em 2013, até o mesmo dia, 18 de abril, a arrecadação de imposto era estimada em R$ 209,5 milhões

Imposto, imposto, imposto. O rio-clarense, como todo brasileiro, se queixa do excesso no pagamento de tributos aos governos e da ausência de retorno da arrecadação em obras e em serviços público de qualidade. Em 2014, por exemplo, de acordo com o “Impostômetro”, o rio-clarense já havia pagado, até as 9h da sexta-feira, 18 de abril, cerca de R$ 240,1 milhões. Valor suficiente para a construção de mais de 834 postos de saúde equipados.

Em 2013, até o mesmo dia, 18 de abril, a arrecadação de imposto era estimada em R$ 209,5 milhões. Ou seja, um aumento de 14,60 pontos percentuais.

2013

O rio-clarense pagou R$ 86,3 milhões a mais de impostos em 2013. Um crescimento de 15,16%. Os dados são do Impostômetro mantido pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que indicam que a cidade recolheu (entre tributos municipais, estaduais e federais) ano passado, até 31 de dezembro, R$ 655.758.467,55, contra R$ 569.426.316,09 consolidados em 2012. Na cota per capita – por habitante – cada rio-clarense pagou mais de R$ 3,5 mil em impostos em 2013. Quantia equivalente à que cada habitante da cidade comprasse três notebooks novos. No ano de 2013, a cada segundo, arrecadaram-se R$ 20,79 em impostos na Cidade Azul.

De maneira geral, a quantia arrecadada com impostos no ano passado seria suficiente para custear a compra de 589.965 geladeiras simples; para construção de mais de 18.542 casas populares de 40 m²; o plantio de 129.792.353 árvores; para pagar 43 meses de conta de luz de todos os brasileiro; a construção de mais de 2.253 postos de saúde equipados; a contratação de mais de 48.648 professores do Ensino Fundamental por ano; ou 40.308 policiais.

R$ 500 BILHÕES

Na terça, 15 de abril, por volta das 6h, o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) chegou à marca dos R$ 500 bilhões.

O valor corresponde a todos os impostos pagos pelos brasileiros desde janeiro deste ano para a União, os estados e os municípios.

Em 2013, o valor foi atingido dia 16 do mesmo mês.

O presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (FACESP), Rogério Amato, compara a arrecadação tributária com o crescimento econômico.

“O nosso desempenho atual mostra que arrecadamos mais e crescemos menos. Grande parte dos impostos recolhidos vai para cobrir gastos e custeios da máquina pública. E sobra pouco para investir em infraestrutura, em segurança, em saúde”, afirma.

No site www.impostometro.com.br, é possível verificar o quanto a população de cada município ou estado brasileiro pagou de tributos.

Considerando-se todo o ano de 2013, a arrecadação estimada pelo Impostômetro foi de R$ 1,7 trilhão, um recorde. Em 2012, o Impostômetro ficou em R$ 1,5 trilhão em impostos arrecadados.

DEIXE UMA RESPOSTA