Restos da ponte em Batovi serão retirados para segurança da população

160

Para garantir a segurança da população, a prefeitura de Rio Claro irá retirar o que restou da antiga e danificada ponte de madeira em Batovi. A medida preventiva é necessária porque, apesar de o município ter interditado a ponte várias vezes, a passagem vinha sendo inadvertidamente desinterditada para o trânsito irregular, e perigoso, no local. Há 15 dias, a ponte tinha sido reinterditada pela prefeitura, porém foi novamente aberta de forma irregular. Nesse fim de semana, um carro roubado foi jogado daquela ponte.

“O risco de acidentes é enorme, os restos da ponte estão tão precários que nesse trecho não é possível nenhuma alternativa temporária para o trânsito de veículos”, frisa o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que esteve segunda-feira (27) no local.

A obra da ponte de Batovi tem custos totais estimados em R$ 5 milhões. A prefeitura também estuda projetos em madeira para barateamento dos custos, inicialmente orçados para obra em concreto.  “Estamos fazendo um trabalho contínuo na busca de suporte financeiro em outras instâncias de governo e pretendemos colocar uma previsão no orçamento municipal para realizar a obra, com expectativa de que ocorra aumento na arrecadação”, informa Juninho, lembrando que a atual administração herdou dívida superior a R$ 380 milhões, o que não permitiu atender algumas demandas da comunidade, como é o caso dessa ponte. Outro agravante é que o município, até o ano passado, não dispunha das certidões que permitem a busca de recursos externos.

De acordo com o secretário municipal de Obras, Paulo Roberto de Lima, a retirada do que restou da ponte terá início nesta terça-feira (28) e será concluída nos próximos dias. “Será mantido apenas o suporte da tubulação de água do Daae que passa pelo local”, explica, reforçando a orientação para que as pessoas evitem aquele trecho enquanto a prefeitura busca os recursos necessários para fazer a substituição.

A deterioração da ponte de Batovi é um problema herdado de administrações passadas. A ponte de madeira é antiga, está condenada e interditada há seis anos. Quem transita por aquela região pode usar, como alternativa à passagem obstruída, a Estrada Velha que liga o bairro Bonsucesso ao distrito de Batovi, ou a SP-191.

DEIXE UMA RESPOSTA