“Queridinho” da estação, climatizador some das lojas

73

Fabíola Cunha

Vendas de aparelhos de ar-condicionado, climatizadores e ventiladores aumentam muito em períodos prolongados de calor intenso, como o vivenciado agora
Vendas de aparelhos de ar-condicionado, climatizadores e ventiladores aumentam muito em períodos prolongados de calor intenso, como o vivenciado agora

Em falta. A resposta é muito comum para quem pergunta por climatizadores, ventiladores e aparelhos de ar-condicionado nas lojas de varejo.

O problema não é local nem específico de uma marca ou modelo, mas sim a demanda pelos produtos, devido à prolongada onda de calor que atinge as cidades, deixando não apenas os dias, mas as noites insuportáveis.

O presidente da Eletros (Associação Nacional de Produtos Eletroeletrônicos), Lourival Kiçula, alertou que as prateleiras poderiam ficar sem aparelhos de ar-condicionado e ventiladores neste início de ano. Isso apesar da indústria começar a planejar a fabricação no inverno, ou seja, 6 meses antes.

No ramo de ar-condicionado, o recordista de vendas nos últimos anos tem sido os modelos “split”, com duas peças. Segundo a associação, em 2014 foram comercializados 3,7 milhões de aparelhos desse tipo, o que representa uma alta de 15% em relação a 2013. Já os ventiladores venderam 11,9 milhões no ano passado, 25% a mais que no ano anterior.

Em Rio Claro as temperaturas permaneceram durante mais de uma semana com médias de 22°C e 36ºC, ou seja, durante a noite, no interior das residências, o calor do dia permanece conservado, impossibilitando o descanso e debilitando a saúde, principalmente de crianças, idosos e pessoas que já têm algum problema de saúde.

A busca por algum “refresco” é a principal causa da altíssima demanda por ventilador, ar-condicionado e climatizador, segundo o gerente de uma loja de eletroeletrônicos, Sergio Sebastião Mercante: “Acredito que é mais o desespero das pessoas para conseguir aliviar o calor que tem aumentado as vendas”.

Segundo ele, as vendas de ventilador cresceram 100% nos últimos meses, quando o calor começou a apertar.

No entanto, o queridinho da estação é o climatizador, que promove leve resfriamento do ambiente graças a um compartimento que pode ser preenchido com água gelada (é usado também no inverno para umidificar o ar). No entanto, o consumidor deve atentar ao fato de que, em nossa região, o verão é acompanhado de umidade relativa do ar alta, ou seja, o climatizador vai aumentar esse índice desnecessariamente.

Já o ar-condicionado promove o ressecamento do ar ambiente e deve ser usado com cautela por pessoas que têm problemas respiratórios, agravados pela baixa umidade relativa do ar.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: