Protetor e bloqueador solar devem fazer parte do cotidiano de adultos e crianças

84

Fabíola Cunha

Segundo os dermatologistas e especialistas no assunto, é indicada a reaplicação do produto por três a quatro vezes ao dia em todas as áreas fotoexpostas
Segundo os dermatologistas e especialistas no assunto, é indicada a reaplicação do produto por três a quatro vezes ao dia em todas as áreas fotoexpostas

Com tantas variações disponíveis no mercado, não é à toa que escolher o protetor solar correto seja um desafio. Preço, quantidade, fotoproteção, veículo (creme, gel ou spray?), entre outros quesitos, lotam as prateleiras das farmácias.

A primeira regra para escolher o melhor produto é não tratá-lo como um item útil apenas em viagens à praia: “Existe uma grande parcela da população que vê o protetor como cosmético supérfluo, mas a partir do momento em que começa a frequentar o dermatologista, ela começa a ser orientada não só sobre a parte estética, como também a questão preventiva do câncer de pele, principalmente peles claras”, explica o dermatologista Glaucos Ricardo Paraluppi (CRM 122633).

Os produtos que protegem nossa pele da radiação solar são divididos em filtros e bloqueadores – o primeiro tem ação química para irradiar os raios ultravioleta, o segundo rebate os raios de volta à atmosfera.

Para escolher um produto adequado, deve-se levar em consideração não apenas o fototipo (de 1 a 5, da pele mais clara à pele mais escura), mas também o tipo de pele, da mais seca à mais oleosa: “O veículo é importante, para uma pessoa com pele oleosa, o melhor é o gel, gel creme e sérum; já as pessoas com pele seca podem usar veículos tipo creme e loção. Isso vai facilitar a adaptação, porque uma pessoa com pele oleosa vai desenvolver acne se usar loção, não vai se adaptar e não vai usar”, diz Paraluppi.

Quanto às crianças, ele explica que realmente há necessidade das crianças até 2 anos tomarem banho de sol, em horários em que a luz solar não está muito forte (antes das 10h e depois das 17h no Horário de Verão), para estimular produção de vitamina D (fundamental na formação e fortalecimento ósseo).

Qual sua opinião? Deixe um comentário: