Projeto cultural quer recuperar vagões

149

Lourenço Favari

trem
Imagem ilustrativa do projeto Arte a Bordo de Clewerson Saremba

Arte a bordo. Este é o nome do projeto do diretor de criação Clewerson Saremba, que quer reformar três vagões de trem e uma locomotiva na antiga estação ferroviária de Rio Claro para transformá-los em salas de aulas de desenho, espaço de exposição e estúdio de criação.

A ideia é ousada, mas já tem muitos indícios de que vai decolar. “Muitas crianças e jovens não conseguem expressar suas ideias por falta de espaço e oportunidade. Este espaço será utilizado para isso: estimular a leitura, o conhecimento, além de poder ser um espaço para profissionalização”, explicou Saremba ao destacar que as aulas serão gratuitas e destinadas a pessoas até 17 anos.

Com um projeto bem detalhado, ele frisou que já apresentou para a prefeitura e aos setores responsáveis, para garantir os vagões e a cessão de uso do espaço na antiga estação ferroviária. “Pretendemos que já esteja em funcionamento em 2016”, projeta.

DETALHAMENTO

Conforme adiantado, serão três vagões e uma locomotiva, sendo que cada uma das composições terá diferentes funções. A primeira delas será uma sala de aula de desenho, equipada com mesas, cadeiras e equipamentos digitais profissionais para desenho.

Outro vagão abrigará uma sala de leitura e gibiteca, que vai manter centenas de títulos à disposição da comunidade. O terceiro vagão será composto de painéis digitais, que poderão ser utilizados como expositores de obras artísticas para enriquecer o repertório dos frequentadores do espaço. E, por fim, a locomotiva, que será uma sala de cinema 7D. “Quero levar conhecimento, entretenimento e profissionalização aos participantes”, destacou.

COMBUSTÍVEL

Aos 49 anos, o profissional que construiu uma sólida carreira no universo dos quadrinhos e animação, explicou que sua vontade é passar o conhecimento para as novas gerações. “Deu um clique, que está na hora de passar para frente o que aprendi. Este é o principal combustível para dar sequência no projeto”, esclarece.

Saremba diz que para concretização do projeto precisa do apoio do empresariado local para garantir o custeio do espaço. “Cada empresário ou empresa adotaria um vagão”, explica. Os interessados podem entrar em contato pelo e-mail .

CRIADOR

Com mais de 25 anos de experiência no setor de criação artística, Saremba, trabalhou durante cinco anos como desenhista criativo no estúdio Mauricio de Souza Produções, além de ter atuado também como diretor de longas metragens de animação e séries animadas de TV pela Labo Cine Digital.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: