Populares esperam há 5 anos por limpeza de lote

62

Antonio Archangelo

Apesar dos anúncios oficiais, moradores ainda encontram dificuldades para agilizar a limpeza de terrenos particulares “esquecidos” por seus donos. Na manhã de ontem (26), a equipe da “Jovem Pan nos Bairros” esteve no Cervezão para relatar a dificuldade que a comunidade vem encontrando para limpar um lote. “Faz cinco anos que estou aqui, nunca vi o dono e a prefeitura, muito menos, para limpar a área que é tomada pelo lixo e pelo mato”, relatou Márcio Massini. “Nós vemos nos jornais que a prefeitura vai multar que não limpa o terreno, mas não adianta. Olha o jeito que está isso aqui. A prefeitura não vem atrás, o dono muito menos. Isso aqui está uma bagunça só!”, disse Massini. Já Josiane Massini lembra a preocupação com a saúde. Com o avanço do mato e o acúmulo de lixo, o quarteirão está infestado de caramujos africanos, que invadem as residências durante a noite. “Minha casa mesmo é afetada por caramujos, piolho de cobra, cobra… É uma situação que não estou vendo solução. Precisa ter um pouco de responsabilidade da parte da prefeitura, dos moradores também em relação ao lixo. E que seja notificado o dono do terreno”, disse a moradora. Além do mato, a falta de calçadas também preocupa a população, já que os pedestres caminham no meio da rua. Consultada via assessoria, a prefeitura disse que, sobre as calçadas, a prefeitura segue fazendo a fiscalização. Quem tiver reclamação deve entrar em contato com a prefeitura pela linha 156. A limpeza de terrenos baldios particulares também é obrigação dos proprietários e, para estimular os donos a manterem seus terrenos limpos, a prefeitura está cobrando mais para fazer o serviço no imóvel dos faltosos. O reajuste aconteceu no ano passado e o valor da cobrança passou de 0,10 UFMRC por metro quadrado para 0,50 UFMRC. Além disso, há taxa de 20%, correspondente à administração dos serviços. A UFMRC é a unidade fiscal do município e atualmente vale R$ 2,5068. A limpeza feita pela Secretaria Municipal de Manutenção e Paisagismo independe de reclamações feitas pela comunidade, já que a prefeitura atende todos os bairros com esse serviço, seguindo cronograma por regiões ou antecipando os serviços nos casos mais urgentes. O trabalho começa assim que termina o prazo concedido em edital publicado todo o início de ano pela administração municipal para que os donos façam a limpeza de seus imóveis. Neste ano, o prazo venceu no final de janeiro. A partir daí, a prefeitura faz a limpeza dos terrenos sujos e com mato, e manda a conta para os proprietários faltosos. Sobre os caramujos, a equipe do Centro de Controle de Zoonoses realiza permanente trabalho com a comunidade por meio de palestras desenvolvidas pelo Departamento de Informação, Comunicação e Educação e distribuição de materiais informativos, orientando a população sobre como proceder no combate ao caramujo africano. A comunidade pode solicitar auxílio por meio do telefone 156. Assista à reportagem em: https://www.youtube.com/user/jcrioclaro.

DEIXE UMA RESPOSTA