Para família, acusação foi feita com base em “preconceito”

94

Carine Corrêa

Família questiona prisão de dois rapazes e alega que preconceito foi fator que determinou a prisão dos indivíduos
Família questiona prisão de dois rapazes e alega que preconceito foi fator que determinou a prisão dos indivíduos

Duas ocorrências de roubo registradas no dia 24 de maio levaram à prisão de dois rapazes de 29 anos. A família diz que a abordagem dos policiais foi feita com base em critérios “preconceituosos”, como a cor da pele dos acusados, tatuagens e, no caso de um deles, passagem que já cumpriu nos meios policiais.

A dupla estava conversando em uma das ruas do bairro Jardim Guanabara e foi abordada pela PM na segunda-feira, dia 26 de maio, e foram conduzidos ao plantão policial. A mãe de um dos detidos, Maria Rosa Lima, alega que o filho estava em sua casa no momento em que acontecia um dos assaltos. Já a mulher do outro rapaz, Tamires Fernanda Ribeiro, garante que o marido estava na casa da mãe dela enquanto o roubo de que está sendo acusado se desenrolava.

A reportagem do JC tentou contato com o delegado de plantão na ocasião da prisão, mas não conseguiu mais informações sobre o caso.

A matéria na íntegra você confere na edição impressa do JC desta quarta-feira, dia 04. Se você é assinante, clique aqui e acesse a edição digital.

1 COMENTÁRIO

  1. isso é uma grande injustiça ,um preconceito inaceitavel ,por que se ele fosse de um nivel social alto , a justiça estaria atrás de provas concreta como de uma filmagem das ruas proxima onde o fato foi ocorrido , mais como ele é um simples cidadao trabalhador morador de um bairro umilde , nao tem o direito de sonhar , pois esta preso injustamente pagando por um ato que ele nao cometeu , enquanto isso o verdadeiro culpado esta solto pronto para cometer outros crime . ( familia de jeferson dos santos ) esperamos justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA