Ônibus: tarifa varia de R$ 2,50 a R$ 3,30

331

Ednéia Silva

A tarifa de ônibus vai subir de R$ 2,90 para R$ 3,30 a partir de domingo (23) em Rio Claro. O reajuste foi anunciado pela prefeitura na última quarta-feira (19). Por conta disso, o JC decidiu verificar os preços praticados em algumas cidades da região, entre outros municípios paulistas.

Em Limeira a tarifa do transporte coletivo subiu 9% em junho deste ano, passando de R$ 2,75 para R$ 3,00. O novo preço entrou em vigor em 1º de julho. Em Vinhedo, a tarifa do transporte subiu de R$ 3 para R$ 3,30. Em Mogi Mirim, o preço da passagem mudou de R$ 2,90 para R$, 3,10. Em Araras, o bilhete custa R$ 2,50, um dos mais baixos da região.

Piracicaba alterou o valor da tarifa em 20 de maio deste ano. Porém, na contramão dos demais municípios, ao invés de aumento, a passagem diminuiu o valor de R$ 3,00 para R$ 2,95. No entanto, os usuários reclamam que na prática a redução não funciona, porque os cobradores não têm troco para devolver os R$ 0,05 e a passagem acaba saindo por R$ 3,00.

Em São Carlos a tarifa de ônibus custa R$ 2,65. O valor foi reduzido em julho do ano passado devido à pressão popular nas manifestações que ocorreram em várias cidades brasileiras. No dia 20 de junho de 2013 cerca de 12 mil pessoas saíram às ruas pedindo a redução da passagem que custava R$ 2,75 desde 26 de dezembro de 2012.

Em Araraquara o valor subiu 7,14% em julho, saltando de R$ 2,80 para R$ 3. Em Santa Bárbara D’Oeste o preço praticado é de R$ 2,70, valor que começou a vigorar em setembro. Antes disso, passagem custava R$ 2,40. Em Presidente Prudente o preço subiu de R$ 2,50 para R$ 2,80 no último dia 17. Em Marília, o preço da tarifa subiu de R$ 2,15 para R$ 2,50 em março deste ano.

Em Jacareí a passagem custa R$ 3,00. Em Araçatuba os valores são: R$ 2,80 para pagamento em dinheiro no ônibus, R$ 2,55 para vale-transporte e passe comum com cartão, R$ 2,35 para trabalhadores domésticos e R$ 1,40 para estudantes.

Em Campinas, o valor da tarifa subiu de R$ 3,00 para R$ 3,30 no dia 1º de agosto. Em Bauru, o bilhete custa R$ 2,70; em Franca R$ 3,10; em Pirassununga R$ 2,50; em Ribeirão Preto R$ 2,90; em Sumaré R$ 2,50; em Valinhos R$ 3,30; e em Mogi Guaçu R$ 3,10.

2 COMENTÁRIOS

  1. Aqui em Jacareí é complicado também. Os itinerários são curtos e mal planejados. Não existem câmeras de monitoramento nos ônibus. Atrasos constantes, superlotação em várias linhas importantes. O sistema de leitura biométrica não funciona direito. Integração (Bilhete único), nem pensar, o que prejudica especialmente os moradores dos bairros mais afastados, inclusive em oportunidades de emprego. Até os pontos de ônibus são precários! Pra completar, temos um monopólio feroz, de mais de 30 anos, onde todos os prefeitos desde então, independentemente do partido, defendem com unhas e dentes os interesses da concessionária. Por exemplo, o transporte alternativo foi proibido em 2003. Detalhe, o Tribunal de Justiça de SP, julgou o contrato e a licitação atual como irregulares, pois há inúmeros indícios de direcionamento no certame. Entretanto, nem o TJ tem poder para anular o contrato. Lamentável!

    Pagar R$3,00, em uma cidade onde 80% dos usuários não percorrem nem 6km de distância, onde os ônibus vivem atrasados, e sem bilhete único, é de lascar mesmo. Isso porquê, tanto aqui, como na vizinha São José dos Campos, estão querendo aumentar a passagem para R$3,50. Não é fácil não.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: