Obras no ‘paredão’ são prorrogadas por mais 30 dias

341

A Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS), que faz a gestão da área de ferrovia que sofreu incêndio no ano passado na região da Vila Indaiá, confirmou que a execução das obras e serviços de reconstrução parcial dos muros de divisa e calçadas do imóvel da Avenida 22-A com a Rua 6-A, encontra-se em fase final de execução e o pedido de prorrogação do prazo de mais 30 dias pela empresa responsável pela obra está em tramitação.

Desde o início de janeiro que uma equipe trabalha para a restauração do local. O prazo inicial era de três meses e tinha previsão de término para o último dia 14 de abril. A principal ação, que era a retirada do paredão no trecho, foi concluída há algumas semanas. A estrutura passou a oferecer riscos de desmoronamento após a área de gestão da CPOS sofrer um incêndio no mês de agosto do ano passado.

Os custos da obra são integralmente da Companhia Paulista de Obras e Serviços e incluem também o reparo de trecho do muro que circunda a área e a construção de calçadas do lado externo. Na parte interna, também estão sendo feitas intervenções para remoção de materiais que por muitos anos ficaram ali depositados.

O terreno de 50 mil m², pertencente à Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS), poderá ser posto à venda futuramente. Segundo a CPOS, no entanto, neste primeiro momento será mantida a manutenção e segurança da área para que se evite foco de incêndio no terreno pertencente à Companhia, destacando que não há nenhum risco de contaminação no local. “A CPOS também aguarda que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) retire as sucatas que estão alojadas no local e só após estes procedimentos a diretoria da CPOS irá se reunir e decidir o que fará com o terreno”, informou.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: