#VÍDEO: Noivos vendem trufas em semáforos para custear festa de casamento

2507

Juntos há cinco anos, a atendente Juliana Carolyne Baldin Dias, 20 anos, e o almoxarife Gustavo da Silva Monteiro, 23 anos, estão com a data do casamento marcada para o dia 16 de março de 2020. Quando o assunto é amor, eles têm a certeza de que querem construir uma família, mas no meio desse sentimento verdadeiro convivem com uma interrogação: a festa de casamento.

“Eu sempre tive esse sonho desde pequena de casar de véu e grinalda, fazer uma festa para receber a família, amigos e celebrar esse momento. Quando encontrei o Gustavo, não tive dúvida de que seria com ele. Depois que ficamos noivos, esse desejo só aumentou, mas hoje em dia é tudo muito caro”, afirmou Juliana.

Diante da situação, tiveram a ideia de ganhar um dinheiro extra com a venda de trufas. O local escolhido foram os semáforos da cidade. Fizeram camisetas personalizadas com o dizer: “Nos ajude a casar” e com muita humildade, um sorriso no rosto e amor comercializam o sonho e compartilham a história com os motoristas, principalmente os que passam pelo cruzamento da Rua 14 com a Avenida Visconde, local que escolheram pelo grande fluxo de veículos.

“Não imaginávamos que a ideia chamaria tanto a atenção. Começamos por volta das 19h30 e vamos até umas 22h, isso de quarta, quinta e sexta. Mas agora, como fiquei desempregado e a situação apertou ainda mais, a nossa ideia é irmos todos os dias. É muito interessante porque, mesmo que às vezes as pessoas não tenham dinheiro para comprar, parabenizam a gente pela iniciativa, falam para não desistirmos e desejam felicidades. Isso motiva ainda mais”, conta Gustavo.

Eles se conheceram nas partidas de futebol amador. Gustavo jogava pelo Unidos da Vila e o pai de Juliana era o técnico da equipe. Ela ainda adolescente, com 15 anos, ia junto com a mãe acompanhar os jogos e se apaixonou: “Eu ficava lá na arquibancada olhando pra ele e ele também me paquerava, mas até assumirmos o namoro foram seis meses”, diz Juliana.

“Eu tinha medo de que o pai dela soubesse e me tirasse do time, então no começo foi escondido mesmo. Muitas vezes eu fazia gol e combinava uma comemoração que ela sabia que era pra ela, mas tudo muito discreto. Só que, quando vimos que era realmente o que queríamos, fui lá e conversei com meu sogro e deu tudo certo, tanto é que estamos de casamento marcado e se Deus quiser com a venda das trufas vou realizar o sonho da Juliana com a festa de casamento, que hoje se tornou o meu sonho também”, conclui o apaixonado Gustavo.

1 COMENTÁRIO

  1. Linda iniciativa, parabéns! Mas acredito que como o rapaz está desempregado seria bacana se alguém (no semáforo ou que está lendo essa matéria) desse uma oportunidade para esse rapaz se recolocar no mercado formal de trabalho. Se eu fosse empresário com certeza ajudaria dessa forma, como infelizmente não sou (sou tão pobre quanto) só resta-me desejar boa sorte ao casal!!!

Qual sua opinião? Deixe um comentário: