Níveis baixos de água demandam reajuste nas taxas de utilização

67

Da Redação

Rio Piracicaba registrou o menor nível do ano, com 86 centímetros, e voltou a assustar moradores a respeito da crise hídrica
O Rio Piracicaba registrou o menor nível do ano, com 86 centímetros, e voltou a assustar moradores a respeito da crise hídrica

Tema de discussão da semana, o discurso do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, gerou repercussão. Após reconhecer que a crise hídrica é crítica, o governador publicou o Decreto 61.460/2015, que propõe reajuste dos valores para a cobrança do uso da água nas bacias do Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ).

Os recursos arrecadados, de acordo com a assessoria de Imprensa da Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos, serão aplicados na própria região atendida pelos rios da bacia PCJ, como em programas de levantamento de dados, como ainda em programas que incentivem a utilização racional da água.

Conforme a nota, para captação, extração e derivação, o valor será de R$ 0,0118 por m³, até 31 de dezembro deste ano, e a partir do primeiro dia do próximo ano passará a vigorar o valor de R$ 0,0124 por m³, Já para consumo, conforme o decreto, o valor será de R$ 0,0235 por m³, até o último dia do ano e, a partir de 1º de janeiro de 2016, o valor será de R$ 0,0255.

A iniciativa coincidiu com o que foi registrado no Rio Piracicaba na última semana. Dada a época de estiagem, os níveis do manancial voltaram a baixar e colocar em questão novamente o tema da falta de água. Mesmo com essa tendência, o governador voltou a afirmar que, ao menos na grande São Paulo, não faltará água para abastecimento.

Abastecimento local

De acordo com o Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Rio Claro (Daae), as Estações de Tratamento de Água (ETAs 1 e 2) estão trabalhando a plena carga e o abastecimento de água está normal em Rio Claro. Em nota, o departamento informou que a situação da captação dos rios Ribeirão Claro e Corumbataí está, portanto, dentro da normalidade neste período de estiagem, que normalmente vai de meados de maio até o mês de outubro. Devido à falta de chuvas neste mês de agosto houve, naturalmente, há redução mais acentuada nas vazões desses rios, mas dentro da normalidade.

A equipe técnica do Daae monitora diariamente a situação dos mananciais, tanto do Ribeirão Claro, localizado dentro da Floresta Estadual “Navarro de Andrade”, como do Corumbataí. Rio Claro tem duas fontes de captação de águas superficiais que abastecem o município: o Rio Corumbataí é responsável por cerca de 60% do abastecimento da população e o Ribeirão Claro é responsável pelos 40% restantes.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: