Motociata chega a 5ª edição

49

Valdira Guimarães Augusto

Acontece neste sábado a 5ª edição da Motociata. A concentração, às 16 horas, será em frente ao Aeroclube, com saída prevista para as 17h. Os organizadores informam que é importante chegar com meia hora de antecedência. Quem fizer a inscrição antecipada doando um quilo de alimento receberá um cupom para concorrer a prêmios. No período da manhã, as inscrições ocorrem na Esport Motor, mas também poderão ser feitas na hora. Os alimentos arrecadados serão entregues ao Fundo Social de Solidariedade. O evento contará ainda com aferição de pressão arterial e presença da banda Sweet Destruction, com o melhor do Rock’n Roll Clássico animando o público até as 19 horas.

De acordo com Neuzeli Cassia Domingos de Morais, organizadora da Motociata, o evento tem como objetivo homenagear as mulheres por ocasião do Dia Internacional da Mulher. Além disso, promover também sua integração no meio motociclista, que até as décadas de 80 e 90 era predominantemente masculino. “Há alguns anos o público feminino que utiliza a moto para o trabalho ou passeio tem crescido muito, o que refletiu no aumento do número de mulheres que também participam de motoclubes”, observa Neuzeli.

A organizadora destaca que a expectativa é de receber um público entre 200 e 300 pessoas, o que tem sido a média das últimas edições. Neuzeli comenta que, além do Motoclube Cavaleiros de Malta, que organiza o passeio, estão confirmadas as presenças dos motoclubes Batman, Renascidos, Gitanos, Motorhead, Piratas, Olho de Rah, Coisas da Estrada, PHD, Estradeiros da Lei e os Normais, Tank Cheio de Santa Gertrudes, Pioio’s de Jaú e Pacto de São Carlos.

“Justamente para promover a integração e quebrar o preconceito, a participação dos homens no passeio é muito bem-vinda. A Motociata é aberta a todos os interessados, de qualquer idade, mesmo para quem ainda não tem a sua moto”, esclarece.

Neuzeli aponta que o percusso da Motociata terá início na Avenida Presidente Kennedy, em frente ao Aeroclube, segue pela Rua 14 até a rotatória da Avenida Visconde do Rio Claro e continua em direção à Avenida 32, depois pela Rua 2 com destino ao barracão instalado no Lago Azul.

“Nós organizamos de forma que a mulheres que pilotam saiam na frente, seguidas pelas mulheres que estão na garupa de seus pais, irmãos, maridos ou namorados, depois por homens em motos, em seguida triciclos, carros e, às vezes, até um ônibus da equipe de trilha nos acompanha, já que a moto que eles usam não pode trafegar na área urbana. O que vale é estar presente prestigiando as mulheres motociclistas”, afirma Neuzeli.

DEIXE UMA RESPOSTA