Mercado se adapta a aumento de consumidores solteiros no país

136

Fabíola Cunha

Produtos de hortifrúti em porções menores são atrativos para os solteiros que moram sós
Produtos de hortifrúti em porções menores são atrativos para os solteiros que moram sós

A Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (Pnad) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) feita em 2012 mostrou que a população de solteiros no Brasil corresponde a 48,3% do total de pessoas com mais de 15 anos no país. É claro que essa população que se declara solteira pode ter filhos e estar em um relacionamento, mas o IBGE também mostrou no Censo 2010 que, em uma década, a população brasileira formada por pessoas que moram sozinhas passou de 9,2% para 12,1%.

Com um número tão expressivo, é de convir que setores diversos de comércio e indústria têm se adaptado a essa realidade. É cada vez mais comum ver em supermercados, por exemplo, produtos em porções menores, como pães, arroz, café, iogurtes, etc.

A empresária Célia Prochnon, proprietária de um supermercado em Rio Claro, já atende essa fatia da população que mora sozinha e/ou está solteira: “Nosso diferencial é trabalhar com produtos que facilitam o dia a dia da pessoa, como itens de hortifruti já processados, ou seja, lavados, picados e em porções pequenas para levar e consumir”, explica.

Além dessa linha de produtos frescos e prontos, o local oferece refeições e Célia recebe muitos clientes que preferem comer fora porque moram sozinhos e não gostam de cozinhar para apenas uma pessoa, evitando repetição e desperdício.

Célia é empresária do ramo há 11 anos e encara como positiva a inserção de produtos voltados para consumo imediato e em pequenas porções: “Recebemos um feedback positivo, pois temos produtos exclusivos e tudo pronto para consumo”, diz.

Casamento

A idade média dos solteiros na data do casamento era 26 anos para os homens em 2002 e subiu para 28 anos em 2012. Entre as mulheres, no mesmo período, a idade média no dia de núpcias subiu de 23 para 25 anos, segundo dados do levantamento Estatísticas do Registro Civil do IBGE. Atualmente, 29% das mulheres estão dizendo “sim” entre 25 e 29 anos de idade. Outros 20% das noivas têm de 30 a 34 anos. Mesmo para aquelas mais maduras, entre 35 e 39 anos, o matrimônio continua uma realidade concreta, representando 12,2% do total. Entre os noivos, 31,3% têm entre 25 e 29 anos de idade e 24,6% trocam alianças entre 30 e 34 anos. Homens de 40 a 49 anos são 18,2%.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: