Lote de concessão vai beneficiar trecho de Batovi a Ipeúna, diz deputado

110

Antonio Archangelo

O deputado Aldo Demarchi (Democratas) foi entrevistado no programa Jornal da Manhã, da Excelsior Jovem Pan News
O deputado Aldo Demarchi (Democratas) foi entrevistado no programa Jornal da Manhã, da Excelsior Jovem Pan News

Em entrevista à Jovem Pan News, na sexta-feira, 18 de dezembro, o deputado Aldo Demarchi (DEM) falou sobre o lote de concessão rodoviária internacional lançado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). Ele revelou que o trecho que poderá ser contemplado pela concessão na SP-191 é o compreendido entre o bairro isolado de Batovi e o município de Ipeúna.
“Estamos percebendo, lá da Comissão dos Transportes da Assembleia, o movimento no trecho entre Batovi até Ipeúna, passando por Charqueada e São Pedro. E este trecho deve ser beneficiado pela concessão”, citou o parlamentar.

“Mas isso tem que passar por audiências públicas. Nós temos interesse, haja vista que a concessionária, no ano que vem, deverá duplicar, por contrato, a Rio Claro – Araras. Essa nova concessão deverá, neste trecho, estar também no pacote”, ventilou. “Vai para licitação, é evidente que as empresas que estão em concessão aqui em volta nossa são quatro: Intervias, Centrovias, Rodovia das Colinas e a própria AutoBAn, que chega até Cordeirópolis, passando e indo até Araras. Então tenho certeza de que estas quatro deverão concorrer a esse lote de concessão, mas tudo isso ainda tem o prazo para discussão para ser levado à licitação. E depois um contrato sobre o qual nós da Assembleia teremos que ser ouvidos”, comentou.

A escolha das novas concessionárias será feita por meio de uma concorrência internacional, em que os interessados poderão participar de forma isolada ou em consórcios. Não há restrição ao número mínimo ou máximo de participantes nos consórcios. A previsão é de que o edital de licitação seja publicado no primeiro trimestre de 2016, com detalhamento das exigências financeiras, técnicas e obrigações da concessão, como todas as obras a serem executadas, e definição da estrutura operacional. Haverá audiências públicas para que a sociedade possa discutir, debater e opinar sobre essas licitações.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: