Vivian Guilherme

Uso de espaço público para eventos

Ao longo desta semana algumas pessoas se manifestaram contrárias à locação de atividades culturais em bairros da cidade: o circo no Espaço Livre da Avenida Visconde e o parque em espaço na Avenida Felício Castellano. Em ambos os casos, a reclamação é pelo lixo deixado e a depredação do espaço público.

Quem trabalha com cultura, e posso falar disso com algum conhecimento de causa, sabe a dificuldade que é encontrar um espaço – e qualquer espaço, independente, de ser público ou privado – para realizar eventos em Rio Claro.

Tive oportunidade de realizar eventos na Estação Ferroviária, no Espaço Livre, Jardim Público, Lago Azul, Centro Cultural, centros comunitários de vários bairros, praças diversas e também espaços privados como casas de shows e clubes. E sobre todos posso listar e descrever as vantagens e deficiências de cada um. E, garanto, as deficiências são MUITO mais relevantes do que as vantagens.

Na Estação Ferroviária, a realização de um evento tumultua o trânsito, não há controle sobre quem entra ou sai e, portanto, manter a segurança ali é bastante complicado. Além disso, há poucos banheiros e não há estrutura para realização de um show com camarim, etc.

No Espaço Livre a questão é mil vezes mais complicada. O espaço seria ideal, em localização de fácil acesso, sem comprometer o trânsito, fácil chegar, fácil instalar estrutura, ainda que peque pela falta de banheiros, é mais fácil montar um esquema de segurança. E qual o problema? Os vizinhos. Lembro a vez em que tive que interromper o evento quatro horas antes do prazo permitido, estipulado e aprovado pela prefeitura, por conta das inúmeras reclamações de barulho. Isso porque o som estava dentro do determinado e nem eram 18 horas ainda! Seria o lugar ideal para eventos em Rio Claro, se não fosse esse pormenor.

Lago Azul? A questão é a de sempre: e se chover? O medo de nova enchente ocorrer e o transtorno ser muito maior do que alguns vizinhos reclamando é grande. Sem contar, novamente, o problema da segurança. Ao contrário, o Centro Cultural peca pela falta de espaço. Sem contar a péssima acústica do teatro. E não há outro lugar para acomodar senão ali. Eventos grandes… não dá! O Jardim Público reúne todos os defeitos dos anteriores, segurança, trânsito, comerciantes, banheiros etc.

Centros comunitários e praças, o problema é sempre estrutura, falta de banheiros, de local para camarim e espaço. Locais particulares resolvem, mas ou são pequenos demais, ou grandes demais e, sobretudo, trazem o grande problema: são particulares. Como realizar um evento gratuito em espaço particular? Impossível.

Ok. Então…Como ampliar e melhorar a oferta cultural em Rio Claro se não há espaço para tudo isso acontecer? Continuamos esperando o prometido espaço para eventos. Até quando?

Outros posts deste autor
Plantão Policial: tragédia em Assistência, roubo de veículo, ato infracional
Plantão Policial: roubo de malote, flagrante embriaguez, furto no Lago Azul
Plantão Policial: flagrante de tráfico de drogas, furto, roubo
Mais Amado Batista e menos Anitta
A verdadeira rainha do rock

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano