Renan Riggo

Um DERBY digno dos 100 anos de tradição!

O Sport Club Corinthians Paulista e a Sociedade Esportiva Palmeiras protagonizaram um embate épico em Itaquera, digno dos cem anos de tradição do derby, comemorado neste ano de 2017, que correspondeu às expectativas de todos em um jogo com claros contornos de final de campeonato. O placar final em 3×2 a favor do time do Parque São Jorge ficou de bom tamanho para uma partida que poderia ter se encaminhado para uma vitória mais tranquila do alvinegro, levando-se em conta o primeiro tempo avassalador, ou para um empate de garra e raça por parte dos alviverdes, que diminuíram o marcador na segunda etapa e buscaram a igualdade até o fim.

O clássico começou com um Palmeiras disposto a prender a bola no ataque e pressionar o líder do campeonato que vinha de má fase e corria o risco de ver a diferença que fora de 17 pontos para o arquirrival cair para apenas 2. Contudo, após os dois primeiros minutos, o Corinthians se encontrou e demonstrava-se determinado a resolver de uma vez por todas o jogo considerado por muitos como uma final antecipada do campeonato. O caminho para tal era claro: as duas avenidas que foram as laterais alviverdes.

Romero, que não anotava um tento há algum tempo, abriu o placar para os mandantes, após bom passe de Arana para Rodriguinho, que, ao tentar chutar para a meta de Fernando Prass, acabou achando o paraguaio livre e milimetricamente impedido nas costas de Egídio. 1×0 Corinthians e explosão de alegria na Arena. O Palestra sentiu o golpe e logo após a abertura do placar viu o seu arqueiro salvar a finalização de Jô após ótima enfiada de Rodriguinho. No entanto, Prass nada pode fazer depois da cobrança de escanteio de Clayson que achou Balbuena livre para empurrar, meio sem jeito, a redonda mais uma vez para dentro das redes palestrinas. Era o 2×0 do líder do campeonato, que havia voltado a jogar o futebol consistente do primeiro turno.

Passado alguns minutos, o Palmeiras absorveu o golpe e corajosamente foi para cima do Corinthians para buscar o único resultado que lhe interessava, a vitória. Em cobrança de escanteio, o sempre eficiente zagueiro colombiano Yerry Mina subiu mais alto que a defesa corintiana e testou firme para o fundo do gol de Cássio. Era o alviverde diminuindo o prejuízo para apenas um gol e incendiando a peleja. Os alviverdes só não contavam que no lance seguinte o ex-corintiano Edu Dracena faria pênalti em Jô, convertido pelo próprio, devolvendo a vantagem de 2 gols no placar para o Timão minutos antes do intervalo. Um balde de água fria na euforia palmeirense. As equipes foram para o vestiário e o placar indicava 3×1 para o líder.

No segundo tempo, como era de se esperar, o Corinthians voltou mais cauteloso devido à vantagem construída durante a primeira etapa, ao passo que o Verdão vinha para o tudo ou nada em busca da igualdade no confronto. Mais na vontade do que na técnica, posto que com a bola rolando o sistema defensivo alvinegro voltou a funcionar como nos áureos tempos do primeiro turno, o Palestra diminuiu a vantagem corintiana em apenas um gol novamente, e novamente através de uma jogada de escanteio, na qual Pablo rebateu mal e a pelota acabou espirrada para trás, achando Moisés completamente livre, que não perdoou e marcou um golaço à la van Basten, em um chutaço cruzado de direita, quase sem ângulo.

A reação alviverde parou por aí. Após a vantagem dos mandantes voltar a ser de apenas um tento, a partida acabou ficando naturalmente mais truncada, apesar das inúmeras tentativas de botar o time para frente do técnico palmeirense Alberto Valentim. Com o resultado final de 3×2 para o Corinthians, o time de Fábio Carille voltou a respirar após uma sequência de resultados negativos e agora volta a ter 6 pontos de vantagem sobre o Santos, o vice-líder, e 8 para o arquirrival palestrino, que até agora foi quem chegou mais perto de incomodar o Timão na disputa pelo caneco de campeão nacional.

Faltando seis rodadas para o término do Campeonato Brasileiro e 18 pontos em disputa, deparamo-nos com um cenário que suscita opiniões divergentes: para alguns, ainda temos uma competição aberta que será disputada até o fim, para outros, o resultado e a postura do Corinthians no derby representam a retomada do bom futebol e a arrancada para o título. O que todos esperamos é que haja disputa até as últimas rodadas e que as equipes nela envolvida tenham a mesma vontade de vencer que tiveram Corinthians e Palmeiras no clássico. Vontade esta que, por muitos jogos, faltou ao alvinegro e também ao alviverde, assim como faltou ao Santos e ao Grêmio, e se não fosse essa falta, poderíamos estar acompanhando uma disputa muito mais acirrada pela taça da maior competição nacional.

 

 

Outros posts deste autor
[ARTIGO] Seleção Alemã de Futebol
[ARTIGO] Seleção Italiana de Futebol
[ARTIGO] Seleção Uruguaia de Futebol
Final da UEFA Champions League
Ayrton Senna da Silva
Ayrton Senna da Silva (da Fórmula 1, do Brasil, do Mundo)

2 Comentários

  • André Araujo
    6 de novembro de 2017 - 16:56 | Permalink

    Pra mim o campeonato ainda está aberto. Como você disse, são 18 pontos em disputa, o que daria, na teoria, uma virada nesse final. Até o Cruzeiro, que é o quinto colocado ainda tem remota chance! O Corinthians por sua vez, precisaria vencer 4 ou menos partidas (dependendo dos resultados dos rivais Santos, Palmeiras, Grêmio e Cruzeiro). Na prática, depende única e exclusivamente dele! Vaaaaaaai Corinthians!

  • 7 de novembro de 2017 - 10:01 | Permalink

    Não sou fanático em futebol mas gosto de assistir boas jogadas como a de domingo ,gosto do timão mas acho que o palmeiras até merecia o empate pelo esforço de seus jogadores .Nada definido ainda a chances para santos e palmeiras ,que seja campeão aquele que merecer.

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano