Fabíola Cunha

A Tempestade

Julie Taymor (EUA, 2011)

É Shakespeare. Para muita gente, só isso é motivo para não ver. O texto é difícil, poético, musical, hipnótico. Visualmente, o filme desafia nossa visão tão acostumada ao feijão com arroz cinematográfico atual. Mas vale dar uma chance a quem gosta de dar chances a novas abordagens e concepções de cinema. A história: Próspera foi exilada em uma ilha e, para se vingar, usa magia para atrair seus detratores e enlouquecê-los. No meio do caminho, sua filha se apaixona por um deles e seu escravo planeja a própria vingança. Em comum, todos querem liberdade.

Outros posts deste autor
Coutinho, o cabra marcado para morrer
Documentários para ver ontem
Filmes que são presentes
“Você não pode se livrar de Babadook”
As mulheres badass do cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano