Gilson Santullo

Roubo, desacato, acidente de trânsito e outras ocorrências

 

A Polícia Militar registrou roubo contra uma moça no início da manhã deste sábado (15) em frente de supermercado no bairro Cidade Nova. A vítima foi rendida por assaltante com arma de fogo, roubou mais de R$ 455,00. O ladrão fugiu com bicicleta em seguida para direção desconhecida.

Desacato

O indiciado F.J.C. de 31 anos, foi detido pela Polícia Militar às 11h da manhã desta sexta-feira (14), acusado de desacato e resistência contra os policiais na Rua 6 com Avenida 32 no bairro Santana. O acusado, morador no Jardim São Caetano, estava em atitude suspeita e fez gesto obsceno aos PMs, após passar por revista.

Acidente na Felício Castellano

Acidente de trânsito aconteceu no final da manhã desta sexta-feira na Avenida José Felício Castellano, Vila Cristina. A vítima foi o lavador de auto J.A.J. de 73 anos, morador no São Miguel.

O idoso conduzia bicicleta e se envolveu na colisão contra Fiesta preta, ano 2010, placas ETV-6063 de Santa Gertrudes, dirigido pela motorista G.S. de 20 anos, no sentido Mãe Preta para região central. A vítima foi socorrida no PA (Pronto Atendimento) no Cervezão.

Agressão

Agressão foi registrada às 20h50 desta sexta-feira a Rua 2 na região central de Rio Claro. A empresária F.I.P., de 28 anos, disse para Polícia Militar ter sofrido escoriações nas costas.

A outra parte envolvida na agressão é o empresário A.B.S. de 28 anos, informou que a empresária teria danificado seu celular, óculos e jogado tijolo no seu carro Gol 1.0 GIV prata, ano 2009, placas de Rio Claro.

Acidente fatal

Rapaz que prestava serviços de guincheiro morreu em acidente no final da noite desta sexta-feira em trecho da SP-310 na rodovia Washington Luís. Ele seria morador de Rio Claro.

Outros posts deste autor
Ocorrências: corrupção, violência doméstica e furto
Ocorrências: acidente de trabalho, flagrante de roubo e ameaça
Ocorrências policiais: veículos furtados, extorsão e estelionato
Ocorrências: furto, roubo e ameaça
Ocorrências: roubo, furto e tráfico

Um comentário

  • Revision
    15 de agosto de 2015 - 13:07 | Permalink

    As Pessoas devem educar uma rotina em não falar sobre valores na carteira, bolsa ou em casa; quando existem ao redor condições de estranhos ou leigos terem condições de resvalar o ouvido. As vezes até assalto por mal entendido acontecem; tinham escutado que a pessoa portava tal valor e nada havia com a pessoa.

    Medir as palavras dificulta ação do mal intencionado.

    Já viram aquela história: Nem sei quem é essa pessoa qual você acabou de falar; depois o nem sei quem é; acaba sendo o argumento para o mal intencionado criar diálogos como se uma pessoa bem relacionada. Seria como se uma pessoa sofresse uma agressão e depois sequer imagina o motivo; de repente o mal intencionado aparece e quer ser informado se aconteceu alguma coisa.

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano