Favari Filho

Retrospectiva 2015

Ao contrário da paciência do brasileiro, que acabou faz tempo (mas que, ainda assim, continua pagando as contas da má administração pública do Governo Federal), o ano de 2015 chega ao fim e, depois de amanhã [felizmente!], já é 2016. A expectativa para o ano que vem é de que o País seja retirado – o mais rápido possível, pelas vias legais e democráticas – das mãos daqueles que o levaram à bancarrota econômica, política e, sobretudo, moral. Também o desejo de que cresça e desenvolva sobre a égide da Justiça, conservando a estabilidade assegurada primeiramente com a Abertura Política e, a posteriori, com a implantação do Plano Real.

Muitos acontecimentos são passíveis de comentários nesta retrospectiva 2015, porém prefiro atentar para dois que acendem uma luz no fim do túnel sombrio em que colocaram o Brasil. Primeiro os protestos ocorridos nos dias 15 de março, 12 de abril, 16 de agosto e 13 de dezembro, que pediam o impichamento de Dilma Rousseff e denunciavam a corrupção-sistematizada-e-imposta-como-regra nos últimos treze anos. Os apaniguados da “presidenta” certamente devem iniciar 2016 repetindo como papagaios que tudo não passa de uma tentativa de golpe e blá… blá… blá… – defendendo o indefensável, ou melhor, garantindo um bico nesse imenso úbere em que transformaram o Estado.

Na verdade, o que surpreendeu a todos, inclusive a intelligentsia sinestrômana, foi que as manifestações ‘verde e amarela’ – ao contrário das ‘rubras’ – não tiveram a participação e tampouco o apoio (pão com mortadela… aff…) financeiro de nenhum partido, mas que, ainda assim, figuram como a maior mobilização popular desde o início da Nova República, momento demarcado pelo fim da Ditadura Militar, em 1985, quando um general (João Figueiredo) foi substituído por um civil (José Sarney) na Presidência da República.

Outra coisa que marcou o ano e, de certa forma, incentivou ainda mais as manifestações foi o avanço da Operação Lava-Jato – a maior investigação de corrupção já conduzida no Brasil – que teve início com a descoberta da atuação de doleiros em um vasto esquema na Petrobras [a estatal que transformaram em um “puxadinho das benesses ilícitas”], envolvendo políticos, partidos e as maiores empreiteiras do País. Graças à Justiça, até o momento, um sem número de envolvidos segue depondo na Polícia Federal.

Em 2016, o que esperamos, outrossim, é que a Operação Lava-Jato prossiga desvendando crimes e colocando na cadeia os malfeitores que tomaram de assalto a nossa Pátria Mãe Gentil; e também que os protestos sigam acontecendo, aliás, uma megamanifestação está sendo organizada para o dia 13 de março, quando, possivelmente, o impedimento de Dilma Rousseff – caso não haja mais acordos promíscuos – já deva estar bem próximo! Ano que vem, “Vem Pra Rua!, porque a rua é a maior arquibancada do Brasil!”

Um ótimo 2016 a todos!

Outros posts deste autor
Ainda o samba
Ulysses
Cantiga de ninar
Um só…
Uma década de Rolling Stone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano