Renan Riggo

Os mundiais, a FIFA e a legitimação…

Na manhã desta sexta-feira, 27 de Outubro de 2017, a Federação Internacional de Futebol – FIFA, em reunião de seu Conselho realizada em Calcutá, na Índia, decidiu reconhecer todos os campeões do antigo Mundial Interclubes, disputado entre 1960 e 2004, como legítimos campeões do mundo.

Por meio desta decisão, o Santos Futebol Clube, o Clube de Regatas do Flamengo, o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e o São Paulo Futebol Clube, passaram a ter suas conquistas chanceladas pela entidade que comanda o futebol no planeta.

A solicitação para que a FIFA reconhecesse as conquistas dos chamados intercontinentais, dando-lhes o mesmo peso que a atual Copa do Mundo de Clubes, surgiu através da Confederação Sul-Americana de Futebol – CONMEBOL, por meio de uma carta de seu presidente, Alejandro Domínguez, direcionada a Gianni Infantino, em Junho deste ano.

E quais mudanças isto implica na relação dos torcedores para com os referidos títulos, agora “legitimados” pela FIFA? Absolutamente nenhuma. O Santos de Pelé dos anos 60, talvez um dos maiores esquadrões que o futebol mundial nos apresentou, é e sempre será bicampeão do mundo (1962 e 1963).

Créditos: http://www.campeoesdofutebol.com.br/poster21.html

O Flamengo de Zico, Júnior, Andrade e companhia, é o legítimo campeão do mundo de 1981, e a nação rubro-negra nunca precisou e nunca precisará de uma chancela da FIFA para considerar a maior conquista da história do clube.

Créditos: https://www.imortaisdofutebol.com/2012/04/21/esquadrao-imortal-flamengo-1980-1983/

O Imortal Tricolor Gaúcho, de Renato Portaluppi e do icônico Hugo de León, é e sempre será o campeão do mundo de 1983, e a imagem do antológico gol do atual treinador da equipe estará sempre viva na memória de todos os gremistas, independentemente da geração.

Créditos: http://portoalegrense.blogspot.com.br/2011/04/hugo-de-leon-o-jesus-cristo-gremista.html

E o que dizer do bicampeonato mundial do Tricolor Paulista (1992 e 1993) comandado por Telê Santana e orquestrado dentro de campo por um dos maiores camisas 10 da história do clube, Raí? É certo que o torcedor são-paulino se considera tricampeão do mundo (contabilizando a conquista de 2005) há muito tempo e que os mandos e desmandos da FIFA nunca interferiram nessa relação.

Créditos: http://www.saopaulofc.net/spfcpedia/conquistas/

O que conclui-se de tudo isso, independentemente do time para o qual torcemos e das canetadas da FIFA, é que precisamos valorizar a riquíssima história do futebol brasileiro e temos que compreender que essa valorização passa por reconhecer os triunfos de todos os nossos clubes, concebendo de modo objetivo quais eram os contextos históricos das épocas das conquistas e quais eram os campeonatos disputados. Deste modo, quem tem a ganhar somos nós mesmos e o nosso próprio futebol.

Outros posts deste autor
[ARTIGO] Seleção Alemã de Futebol
[ARTIGO] Seleção Italiana de Futebol
[ARTIGO] Seleção Uruguaia de Futebol
Final da UEFA Champions League
Ayrton Senna da Silva
Ayrton Senna da Silva (da Fórmula 1, do Brasil, do Mundo)

Um comentário

  • André Araujo
    27 de outubro de 2017 - 16:51 | Permalink

    Muito bom o pensamento e suas colocações, e mais justo ainda esses clubes serem considerados Campeões Mundiais, já que, como você disse, os torcedores sempre o consideraram (nesse caso, fez-se a justiça). Agora, de uma coisa eu tenho certeza: O Palmeiras NÃO tem mundial, hehe!

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano