Adriano Carioca

Meu chefe é um idiota

Em algum momento da sua vida, você foi liderado por alguém ou liderou outras pessoas, e em alguns casos as duas coisas também podem ter acontecido com você. Com certeza, em alguns desses momentos você se deparou com a seguinte frase: MEU CHEFE É UM IDIOTA!

o.O

o.O

Um grande problema, e talvez até um dos maiores, que as empresas vivem é um conflito antigo e sempre presente dentro das equipes, chamado CONFLITO DE LIDERANÇA. Muitos subordinados não reconhecem em seus chefes as competências necessárias para liderar, ou as habilidades que um bom gestor precisa para manter a equipe motivada e gerando resultado. Por outro lado, os chefes também sentem dificuldade de encontrar dentro das mesmas equipes colaboradores com a atitude equivalente às necessidades da empresa e do serviço, quase sempre resultando em cobranças, pressão por resultados e estresse de ambas as partes.

Mas, afinal, por que isso acontece? Liderança não é uma ciência exata e tão pouco um estereótipo pronto a ser seguido e o que mais se observa dentro das organizações são líderes optando por impor, a sua equipe, uma postura inflexível, baseada nos conjuntos de crenças e valores que esse líder possui. É uma velha falácia utilizada por muitas pessoas na tentativa de passar uma imagem de autenticidade ou imparcialidade: “Sou assim com todo mundo”; “Não importa se for o faxineiro ou o CEO, eu sou assim e pronto!”; “Que gosta de mim gosta do jeito que sou, não preciso mudar por ninguém!”.

Síndrome de Gabriela

Eu nasci assim, eu cresci assim, serei sempre assim…

Frases como essa são vistas em muitas rotinas empresariais, onde líderes e equipes entram em verdadeiras guerras não declaradas de comportamentos no objetivo de manterem intactas essas crenças. Na prática, o que se vê é um grande distanciamento entre o que os líderes esperam de suas equipes e o que essas mesmas equipes tem como expectativas de seus gestores. Para as empresas isso significa baixa produtividade, alta rotatividade e um clima organizacional totalmente afetado por egos e disputas pessoais.

Guerra Fria das empresas

Guerra Fria das empresas

Entendido isso, como solucionar esse dilema? O primeiro passo é entender que as equipes de trabalho são formadas por pessoas diferentes, com experiências e vivências diferentes, e que ainda que tenham a mesma formação, na mesma instituição e pelo mesmo tempo, possuem conhecimentos, habilidades e atitudes distintas, oriundas do seu aproveitamento individual das oportunidades ou aprendizados que experimentaram. Sendo assim, as equipes são dinâmicas e possuem, inclusive entre seus membros, maturidades diferentes ainda que pertencendo ao mesmo departamento e empresa.

O segundo passo então diz respeito ao líder, que numa realidade tão dinâmica como essa, nem de longe pode adotar uma postura inflexível, passando a ter como sua principal aliada a versatilidade. Em outras palavras, é primordial que esse gestor aprenda como lidar com cada equipe, de acordo com sua maturidade, e mais profundamente com cada integrante dessa equipe, visto que essa tal maturidade tem desdobramentos individuais. E nesse momento, pode ser que você esteja pensando no baita trabalho que isso tudo dá, e isso é verdade: LIDERAR DÁ TRABALHO PRA CARAMBA. A boa notícia é que, pelo menos nas empresas, liderar é uma opção e de fato ninguém obrigou você a aceitar aquela promoção tentadora que aumentou seu salário e possibilitou trocar de carro, casar, viajar ou investir no apartamento, certo? Acertado isso, mãos à obra.

 

Dentro do conceito de liderança situacional, é necessário entender que a dinâmica de gerir equipes possui três variáveis que influenciam esse processo: o líder, a maturidade do colaborador e a situação encontrada. Dessa forma, toda relação de liderança é uma constante correlação dessas três forças que devem ser constantemente moldadas e repensadas. Existem quatro estilos de liderança que podem ser adotados pelo gestor e cada um depende diretamente da maturidade que sua equipe possui. São eles: DIREÇÃO, ORIENTAÇÃO, APOIO e DELEGAÇÃO. Cada estilo de liderança é adequado para um grau de maturidade, e esta se divide em dois tipos: MATURIDADE PARA TAREFAS e MATURIDADE PSICOLÓGICA. Veja agora como os estilos e maturidades se cruzam:

Liderança Situacional

Estilo de liderança X Maturidade da equipe

Direção: este estilo é adequado quando os colaboradores não sabem executar o trabalho necessário (baixa MATURIDADE PARA TAREFAS) e também não possuem motivação para fazer (baixa MATURIDADE PSICOLÓGICA). Dessa forma, o líder diz: “Faça isso, desse jeito, por este tempo”.

Orientação: adequado quando os colaboradores não sabem executar o trabalho necessário (baixa MATURIDADE PARA TAREFAS) porém possuem alguma, ou até muita, motivação para tal (MATURIDADE PSICOLÓGICA). Neste caso, o líder toma a decisão por conta própria e depois vende a ideia para a equipe, dizendo: “É importante fazermos dessa forma, porque…”.

Apoio: adequado quando os colaboradores sabem executar o trabalho necessário (MATURIDADE PARA TAREFAS) porém não possuem segurança para tal, necessitando de certo apoio sócio emocional (baixa MATURIDADE PSICOLÓGICA). Neste estilo, o líder procura tomar a decisão junto com a equipe e coloca-se à disposição para assumir a responsabilidade com todos, dizendo: “Vocês sabem o que precisa ser feito e podem contar comigo caso algo aconteça”.

Delegar: adequado quando os colaboradores sabem executar o trabalho necessário (MATURIDADE PARA TAREFAS) e possuem motivação e segurança para tal (MATURIDADE PSICOLÓGICA). Aqui, o líder atua apenas delegando e verificando os resultados obtidos, dizendo: “Qual o resultado da decisão que vocês tomaram?”.

Fazer essa combinação no dia-a-dia é um verdadeiro desafio e exige do gestor uma boa dose de versatilidade. Os frutos valem à pena e podem representar uma queda considerável no turnover da empresa, ainda mais se for levado em consideração que a maior parte das organizações contratam pelos atributos do currículo e demitem pelos atributos comportamentais. Ou seja, criar um ambiente propício para que esse comportamento se desenvolva frente à necessidade da empresa e em concordância com o desenvolvimento da maturidade de cada um pode ser uma receita de sucesso.

Clima organizacional

Ambiente favorável

O próximo passo? Dedicar tempo para se aprofundar nesses conceitos e na sua aplicabilidade é essencial para o líder atual e vem se mostrando altamente recompensador para as organizações que adotam a liderança situacional como metodologia para desenvolver líderes e gerir equipes, e pode representar um bom começo para você.

#Sucesso e #NosVemosNoTopo

Outros posts deste autor
Metas
A fórmula secreta para alcançar metas e objetivos
Vida
Como serão seus últimos 10 anos de vida?
paperman
Aprenda sobre persistência com o Paperman
Volte ao básico!
Se der tudo errado, volte ao básico!
Sucesso
Para ter sucesso, basta decidir! Você duvida?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano