Antonio Archangelo

Mandado de segurança visa retirar manutenção de direitos de Dilma Rousseff

Um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) pretende suspender a decisão do Senado de manter o direito da ex-presidente Dilma Rousseff de exercer cargos públicos.

A peça, protocolada na quinta-feira, 1º de setembro, tem como um dos apoiadores o empresário Luiz Philippe de Orleans e Bragança, um dos líderes do movimento Acorda Brasil, que conversou com a Coluna. Para ele, “há diversos grupos cívicos que querem ver a Dilma fora da Presidência e fora do serviço público pela gravidade de seus atos. Não tem qualificação e depois se provou que não tem ética na condução da coisa pública.

O texto da Constituição defende exatamente o senso comum: remove a pessoa do serviço público, uma vez comprovada sua improbidade e previne que ela entre mais uma vez para a máquina pública, uma vez provada sua improbidade. Mas os senadores e STF querem rever este senso comum. Caso aceita esta medida, o ideal seria que a primeira votação valesse tal qual o texto da Constituição. Eles querem votar em separado para livrar a cara deles e de outros que estão sendo investigados na Lava-Jato”, disse Orleans e Bragança.

Outros posts deste autor
Polícia Federal deflagra operação Mala Direta contra fraudes nos Correios
Rio Claro deveria ter uma Fundação Municipal da Educação?
O que o deputado precisa saber sobre a PEC 241 e seus efeitos na saúde e na educação
TOP 10: Despesas por secretarias municipais
Afinal quanto deve a Prefeitura de Rio Claro?

Um comentário

  • 24 de novembro de 2016 - 14:01 | Permalink

    Obrigado amigo pelas orientacoes, é de grande valia.

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano