Fabíola Cunha

Celeste e Jesse Para Sempre

Lee Toland Krieger (EUA, 2013)

Se nos anos 80 e 90 as comédias românticas relatavam de forma improvável a ascensão do amor entre casais adoráveis, nos últimos 15 anos têm surgido filmes que optam por ilustrar, ainda de forma simpática, o fim do amor.
Neste filme, o casal começa já separado, mas mantendo a amizade. O processo de separação, para valer, vai começar de forma desigual, e rende boas lágrimas e risadas.  O roteiro é da protagonista, Rashida Jones (filha do lendário maestro Quincy).

Outros posts deste autor
Coutinho, o cabra marcado para morrer
Documentários para ver ontem
Filmes que são presentes
“Você não pode se livrar de Babadook”
As mulheres badass do cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano