David Chagas Sem categoria

Brasil, mostra sua cara

Julho termina. Os ipês rosa já fizeram saber, com sua florada, que junho e julho iam para o fim matizando ruas e calçadas.

Desde ontem, começaram a despontar os amarelos para dizer que agosto, ao gosto de quem gosta, vem chegando. Digo de quem gosta porque há os que acreditam chegar o mês do desgosto, das tragédias, dos desastres.

Talvez por isso Deus tenha resolvido fazer brilhar no sol de agosto os ipês amarelos, para diminuir o medo que o mês traz para muitos.

Do jeito que carruagem avança não  precisa ter superstição para temores. Basta ver o mundo e a vida, o Brasil e seu desgoverno, e no Brasil a inflação diária e as infrações cometidas por tantos os que, supostamente, deveriam impedir transgressões e, aqui, são protagonistas delas.

Li ontem à noite a entrevista do professor Roberto Romano, responsável pela cátedra de Ética Política na Universidade de Campinas. Leitura obrigatória na revista ISTOÉ da semana.

Não vou contar aqui o lido, mas bom seria que o leitor entendesse comigo uma das afirmações do ilustre professor. Afirma que no Brasil, município é ficção. Não existe. E prova. Um país em que 70% da arrecadação vai para os cofres do poder central é um país absolutista, centralizado, controlador.

Em tudo, os municípios e os estados dependem de Brasília e, em Brasília, não há nenhuma preocupação com a estrutura da máquina do Estado. A preocupação é com as pessoas. Daí tantos acordos para que haja governabilidade. O pior é que o modelo se repete no Estado e nos municípios que, sem dinheiro, também dividem o poder da forma mais inóspita possível.

Me entende? Basta ver, por exemplo, que ao começarem a organizar as eleições municipais, os partidos se juntam a este ou àquele candidato, não a serviço do povo, mas para saber quantas serão as benesses que vão receber.

O juiz paranaense Sérgio Moro tem ajudado o Brasil a mostrar sua cara, não acha o ouvinte? Na operação lava jato tem jorrado água sobre tanta sujeira capaz de revelar a negociata e os sócios que lucravam com isso, fazendo, pouco a pouco, aparecer uma nova cara para o Brasil. Já dá para saber quem nos tem deixado assim, tão deformados, quais os sócios que nos roubam da forma mais vergonhosa e respondem, agora, por ação jamais vista no mundo moderno.

Conseguiremos mesmo mudar a cara do Brasil?

Outros posts deste autor
Aceno à vida
Para onde vamos?
Mara David
No corpo, esta marca
MAIORIDADE PENAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano