Fabíola Cunha

As mulheres badass do cinema

Dia 8 de março é Dia Internacional das Mulheres. Gosta, não gosta, dá importância, não dá. Fique à vontade. Eu, como gosto de listas, sou mulher e esse é meu blog, apresento uma lista de personagens femininas badass do cinema. Porque sim. E ser badass não quer dizer que são mulheres que não choram, não perdem a compostura, não amam e não sentem-se amedrontadas. É justamente o contrário, fica o registro.

Combo Mulheres de Tarantino

Blog - Atrizes

Em sentido horário: Jackie Brown – Pam Grier – Jackie Brown; Noiva/Beatrix Kiddo – Uma Thurman – Kill Bill; Mia Wallace – Uma Thurman – Pulp Fiction; Shoshanna Dreyfuss – Melanie Laurent – Bastardos Inglórios

Você pode acusar Quentin Tarantino de muitas coisas, mas não pode acusá-lo de ter personagens femininas ruins. Estão todas resolvendo assuntos pesados, com violência, vingança, contando piadas sobre tomates, manuseando armas brancas e redefinindo a história mundial.

Combo Mulheres de Almodóvar

Manuela - Cecilia Roth - Tudo sobre Minha Mãe / Raimunda - Penelope Cruz - Volver

Manuela – Cecilia Roth – Tudo sobre Minha Mãe ; Raimunda – Penelope Cruz – Volver

O que falta dizer sobre as personagens femininas do espanhol Pedro Almodóvar? Os filmes falam por si. As duas escolhidas, de tantas maravilhosas, são de filmes mais recentes, em que o diretor deixou um pouco de lado o absurdo, afinando o olhar para o universo feminino.

Próspera – Helen Mirren – A Tempestade

Helen Mirren apagando fogo com gasolina

Helen Mirren apagando fogo com gasolina

Helen Mirren tomou pra si o papel de Próspera, que na peça original de Shakespeare é masculino. Traída pelo irmão e isolada em uma ilha, ela faz de tudo para proteger sua filha de náufragos e manter a ordem sobre a sociedade que criou à sua maneira.

Marge Gunderson – Frances McDormand – Fargo

O personagem deu à Frances McDormand o Oscar de Melhor Atriz em 1996

O personagem deu à Frances McDormand o Oscar de Melhor Atriz em 1996

Ela está muito grávida. Ela tem um crime insólito para resolver. Parando vez ou outra por causa de um enjoo matinal ou uma refeição calórica, Marge é inesquecível em sua perspicácia e singeleza. E ainda lança um olhar questionador sobre tudo o que vê: um bando de seres patéticos digladiando por um punhado de dólares.

Dora – Fernanda Montenegro – Central do Brasil

Difícil saber quem arrasa mais: Dora ou a atriz Fernanda Montenegro

Difícil saber quem arrasa mais: Dora ou a atriz Fernanda Montenegro

Um road movie em que a solitária escritora de cartas acompanha um garoto em sua jornada de volta à terra natal, Dora vai aprender mais sobre si mesma do que nós sobre o país.

Kate Grant – June Squibb – Nebraska

June Squibb calando a boca dos marmanjos

June Squibb calando a boca dos marmanjos

Baixinha, gordinha e com cabelinhos muito brancos, a personagem poderia ser aquela vovó fofinha que todo mundo procura para se sentir aconchegado. Ledo engano: quando a hora pede, a octogenária atriz June Squibb ergue a voz, libera os palavrões e põe ordem na bagunça que seu marido, filhos e demais parentes masculinos estão armando.

Hushpuppy – Quvenzhané Wallis – Beasts of the Southern Wild (Indomável Sonhadora)

Quvenzhané Wallis é a mais jovem atriz a ser indicada a um Oscar: ela tinha 9 anos.

Quvenzhané Wallis é a mais jovem atriz a ser indicada a um Oscar: ela tinha 9 anos.

Morando em uma decrépita ilha próxima a Nova Orleans pós-furacão Katrina, ela não pode mais contar com o pai doente. Vagando pelos escombros inundados de uma vida que já era precária e agora tornou-se intolerável, ela conta apenas com sua imaginação para se proteger e fortalecer contra a realidade.

Silvia – Leandra Leal  – O Homem que Copiava

A doce Silvia é exemplo da força que a atriz Leandra Leal tem

A doce Silvia é exemplo da força que a atriz Leandra Leal tem

Sem querer entregar o final nem nada, porque o filme todo é muito bom, mas quando você percebe o que a personagem de Leandra passou para chegar onde chegou e como ela lidou com tudo aquilo, fica claro que as definições de “namoradinha do protagonista” foram atualizadas.

Dolores Clairbone – Kathy Bates – Eclipse Total

Kathy Bates

Kathy Bates fazendo o que sabe melhor: sendo maravilhosa

Durante toda a vida, ela foi subjugada e calada pela violência. Mas isso não diminui a mulher que é Dolores, muito por causa da dignidade sobre humana que Kathy Bates dá a ela. E quando descobrimos um segredo antigo, entendemos que ela conseguiu sim, de alguma maneira, revidar.

Merida – Valente

merida

O cabelo mais lindo de uma princesa da Pixar

Não, não tem príncipe. Não, não tem pente. Por que? Porque ela não quer, oras. Percebendo que o futuro que deseja não é o mesmo que seus pais planejaram, a jovem princesa Merida vai meter os pés pelas mãos e sair em disparada para consertar seus equívocos, mas sempre protagonizando seus erros e acertos, ao invés de esperar um sujeito de calça apertada pra resgatá-la.

Outros posts deste autor
Coutinho, o cabra marcado para morrer
Documentários para ver ontem
Filmes que são presentes
“Você não pode se livrar de Babadook”
Tanta coisa acontecendo e você aí preocupado com Oscar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano