Antonio Archangelo

EXCLUSIVO: PT de Rio Claro pode desembarcar do governo Altimari neste sábado (30)

Grupo ligado a vice-prefeita Olga Salomão chama PMDB de partido golpista e promete se unir a PDT, PCdoB e PSOL.

Filiados do Partido dos Trabalhadores ligados aos vereadores Agnelo Matos e Raquel Picelli negaram ter conhecimento do documento.

Segue o suposto documento que será votado  no Encontro de Tática Eleitoral do PT, neste sábado – 30/abril, enviado por filiado do partido:

Manter o certo e avançar!
Os acontecimentos políticos recentes no país com o golpe em curso da aprovação do pedido de impeachment da presidenta Dilma, orquestrado pelo PMDB e patrocinado pelo grande capital, por setores do aparato policial e judicial do Estado, mancomunados com a mídia oligopolizada e a oposição de direita; obriga o Partido dos Trabalhadores de Rio Claro a reavaliar a participação na coligação da Frente Progressista com a presença de partidos golpistas: PMDB, PP, PSC, PR e PSD.

O afastamento da Presidenta Dilma ainda depende de debate e deliberação no Senado Federal neste mês maio. Ainda pode ocorrer a mudança, pouco provável, de orientação destes partidos ou de seus senadores com relação ao voto a favor ou contra o golpe. Ocorrendo o afastamento da Presidenta Dilma, assumirá o traidor e Vice-Presidente Michel Temer do PMDB que já anunciou um programa antipopular de supressão de direitos civis e sociais, de privatizações e entrega do patrimônio nacional a grupos estrangeiros, registrados no documento “Uma ponte para futuro”.

A orientação do PT Nacional sempre foi que as alianças eleitorais priorizassem o arco de partidos que davam sustentação ao Governo Federal. No momento em que tais partidos saem do governo federal e patrocinam o golpe, não há condições políticas de estarmos juntos no processo eleitoral de 2016.

A Direção Nacional do PT, em sua resolução do último dia 19/abril/2016, orientou “os Diretórios Municipais a não realizarem os Encontros de definição de tática eleitoral de candidaturas”. Em Rio Claro, a Comissão Executiva Municipal do PT na reunião de 20/abril, mesmo com a orientação do PT Nacional, decidiu manter o Encontro de Tática Eleitoral para o próximo dia 30/abril.

Sabemos que companheiros e companheiras defendem a continuidade da aliança com o PMDB local a bem do desenvolvimento de poucas políticas públicas em Rio Claro. É difícil imaginar o cenário para as eleições municipais de 2016. Teremos um governo interino do traidor Temer do PMDB que chega a Presidência sem voto, implementando maldades e, nós, aqui pedindo voto pro Prefeito do PMDB !?!?

Já é dado que em 2018 o PMDB tem projeto de candidatura própria à Presidente e Governador. Estaremos juntos com quem nos traiu e se junta com partidos da direita para governar e fazer a presidência com um projeto retrógado para a sociedade brasileira !?!?

Diante disto, cabem as seguintes avaliações políticas.

Se os partidos que estão na Frente Progressista de Rio Claro não mudarem de posição com relação ao golpe em curso, se torna impossível aliança partidária local.

É que os representantes destes partidos em Rio Claro em nenhum momento se posicionaram com clareza a respeito da grave crise política em que vivemos. Alguns até se manifestam a favor do impeachment da Presidenta Dilma e abertamente falam que não querem mais o Partido dos Trabalhadores juntos aqui em Rio Claro.
As “Bases para o Acordo Político e Programático” para a próxima gestão municipal 2017-2020 da Frente Progressista, propostas pelo PT de Rio Claro para o PMDB local em reunião com Du Altimari e Gustavo Perissinotto em 13/abril/2016, até o momento, sequer foram respondidas, demonstrando que não há compromisso de repactuação política e programática com o PT de Rio Claro.

Portanto, o conjunto de filiados e filiadas abaixo, entendem que para as eleições municipais de 2016, se o cenário descrito acima não mudar e não houver demonstrações políticas locais que são contra o golpe ou mesmo a tão esperada repactuação política-programática, o Partido dos Trabalhadores de Rio Claro deve construir uma Frente de Esquerda, sem partidos golpistas.

Para tanto, apresentamos a tese a ser votada no próximo Encontro Municipal de Tática Eleitoral do Partido dos Trabalhadores de Rio Claro, no sentido de o PT ter candidatura própria dentro de uma Frente de Esquerda com os partidos que nacionalmente se alinham na defesa da democracia e contra o golpe: PDT, PC do B e buscar apoio dos movimentos populares, sindicais, sociais e partidos que estão na Frente Brasil Popular e Frente Povo sem Medo, em especial o PSOL.

Mas a prioridade dos petistas e de toda a esquerda brasileira, neste grave momento, é evitar o golpe!

Rio Claro, 25 de abril de 2016.
Assinam,
1. Olga Lopes Salomão
2. Camilo Cazonatto
3. Ari Rios
4. Marcelo Fiorio
5. Ricardo Dutra
6. Vanessa Dutra
7. Alan Rios
8. Ivo Reseck
9. Manoel de Jesus
10. Adams Rios
11. Camila Moreno
12. Lucia Cristina da Silva (Panda)
13. Davi Romualdo
14. Tarciza Ribeiro de Oliveira
15. Carlos Alberto Seneme
16. Rodolfo Ribeiro Ferreira dos Santos
17. Julio Antonio do Nascimento Filho
18. Lucas Cestaro
19. Maria Amélia Cestaro
20. Armando Cestaro
21. Hélio do Carmo
22. Alaur Arthus
23. Jô Conceição
24. Leonel de Arruda
25. Rodrigo Cavallari
26. Otávio Moraes Dias
27. Aparecido Donizetti da Silva
28. Caiubi Henrique do Nascimento
29. Divani Fernandes
30. Antonio Roberto da Silva
31. Valdivino dos Anjos
32. Vilson Nunes Damião
33. Celso Monteiro
34. Kizie de Paula Aguiar
35. Ana Paula Hebling Meira
36. Camila Cardoso

Outros posts deste autor
Polícia Federal deflagra operação Mala Direta contra fraudes nos Correios
Rio Claro deveria ter uma Fundação Municipal da Educação?
O que o deputado precisa saber sobre a PEC 241 e seus efeitos na saúde e na educação
TOP 10: Despesas por secretarias municipais
Afinal quanto deve a Prefeitura de Rio Claro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano