IDHM: RC é a segunda melhor colocada na região

57

Carine Corrêa

Vítima foi agredida e roubada por assaltante, que fugiu em seguida
Estátua do índio no Jardim Público (Foto: Arquivo JC)

A posição de Rio Claro no ranking estadual do Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM) repercutiu. Em todo Estado, o município ocupa a 19ª posição. Entre as 5.565 cidades brasileiras, a cidade ocupa o 34º lugar, segundo o estudo do Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). Na região, um levantamento realizado pelo JC, com base no IDHM no ano de 2010, a cidade ocupa a segunda posição, com um índice 0,803, ficando apenas atrás de São Carlos, com um desempenho de 0,805 em uma escala de 0 a 1 — quanto mais próximo de 1, melhor o desempenho. (Vide tabela ao lado com o ranking completo da região).

“Esta expressiva classificação de Rio Claro deve ser creditada ao trabalho de toda a comunidade. O Poder Público tem procurado contribuir para o desenvolvimento e crescimento da cidade e entendemos que tem obtido sucesso neste desafio. As obras, serviços e programas em setores importantes como saúde, educação e meio ambiente estão apresentando resultados altamente positivos para o município. Nossa expectativa é de que, com o planejamento que realizamos, a cidade vai continuar crescendo com qualidade de vida”, disse em resposta à pesquisa o prefeito Du Altimari.

Gunar Koelle, ex-secretário municipal de Educação no governo de Nevoeiro Júnior (2005/2008), em entrevista, afirmou que a colocação da cidade é o resultado do sistema de qualidade de ensino no município: “Rio Claro tradicionalmente tem um elevado nível de cultura e sempre primou pelas escolas de ensino público municipal, referência na região. Acima de tudo, o mais importante é o corpo de professores que integra o sistema de ensino municipal”, diz. “No período em que atuei na pasta, reformei o estatuto do magistério e aprovamos o plano de carreira para o magistério, que trouxe um benefício a longo prazo a professores e diretores. Tudo isso tende a contribuir para a qualidade do ensino municipal”, finaliza o ex-secretário.

O ex-secretário municipal de Saúde na administração de Cláudio Di Mauro, José Luiz Riani Costa, avalia que o aumento da expectativa de vida tem relação com a prioridade na questão da mortalidade infantil. “A crescente melhoria nessa área é consequência do conjunto de melhorias e de políticas públicas que chamamos de determinantes e condicionantes da saúde. Na administração de Di Mauro, foram priorizados programas de pré-natal, parto, vacinação de crianças, entre outra série de medidas. Além da promoção da saúde do idoso e do acompanhamento de doenças”, comenta.
Os dados da pesquisa foram extraídos dos Censos Demográficos de 1991, 2000 e 2010.

1 COMENTÁRIO

  1. Com certeza na minha opinião a qualidade de vida na cidade é boa, mas quem pode falar com maiores detalhamentos são as pessoas que moram em bairros periféricos onde as imperfeições gestionárias são evidentes. São essas pessoas que frequentam os hospitais, que possuem dificuldades de moradias, que andam de transportes coletivos, que possuem necessidades de cursos profissionalizantes, de geração de emprego e renda, enfim são as mais agredidas por gestões públicas ruins. Cada qual tem sua ótica e os políticos bem como pessoas que exerceram cargos públicos possuem visões as vezes muito aquém da realidade. O IDH ou o IDHM são medidas para efeito comparativo mas não refletem as dificuldades pontuais (que não são poucas) que podem ser bem piores do que as refletidas nesses índices.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: