GP do Brasil de F-1 gera divergências

181

Prefeitura de São Paulo e o governo do Estado emitiram uma nota em conjunto na noite dessa quarta-feira na qual confirmam o que foi informado horas mais cedo pela Interpub, empresa responsável pela realização do GP do Brasil de Fórmula 1 no Autódromo de Interlagos. A nota informa que existe contrato em vigor com validade até dezembro de 2020 e que acredita que o compromisso será renovado em 2021.

O posicionamento foi divulgado após a afirmação do presidente da República, Jair Bolsonaro, indicando na quarta-feira que a etapa brasileira da categoria máxima do automobilismo passará a ser realizada no Rio a partir do ano que vem, após a construção de um novo autódromo em Deodoro, na zona oeste da cidade. Em uma solenidade ocorrida pela manhã, Bolsonaro assinou em conjunto com o governador do Rio, Wilson Witzel, e o prefeito da capital fluminense, Marcelo Crivella, um termo de compromisso para a construção deste novo autódromo e ainda confirmou que já existe uma previsão de que o local ficará pronto dentro de seis a sete meses.

O acordo em vigor entre Interlagos e a Fórmula 1 foi assinado em 2014. Como contrapartida pelo contrato, o autódromo recebeu nos últimos anos recursos federais de R$ 160 milhões para reformar e ampliar o paddock, uma antiga exigência das equipes. A nota divulgada em conjunto por prefeitura e governo de São Paulo foi dividida em quatro itens e o primeiro deles destacou: “Há um contrato em vigor com a empresa responsável pela organização do GP Brasil de F-1, válido até dezembro de 2020”.

Já o segundo item pontuou: “Desde novembro de 2018, a Prefeitura de São Paulo atua para a renovação do contrato do GP do Brasil de F-1 na cidade de São Paulo, a partir de 2021. Há convicção de que o bom entendimento vai prevalecer”. Em seguida, a nota vai além ao ressaltar que prefeitura e governo de São Paulo “desconhecem qualquer obstáculo que possa inviabilizar a renovação do referido contrato”.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: