Gertrudenses “ganham” reajuste de 44,25% na tarifa de água e esgoto já em dezembro

93

Antonio Archangelo/Coluna PolítiKa

Mesmo com a atualização da tarifa, os benefícios da tarifa social permanecem no município (Foto: Ilustrativa)
Mesmo com a atualização da tarifa, os benefícios da tarifa social permanecem no município (Foto: Ilustrativa)

Nada que esteja ruim, pra ficar pior. Em Santa Gertrudes, o munícipe terá que arcar com reajuste de 44,25% já em dezembro nas contas de água e esgoto. Conforme antecipado por esta Coluna, o índice poderia ser maior, mas a Agência Reguladora de Saneamento e Energia de São Paulo (Arsesp) decidiu que o índice ficaria no patamar supracitado.

Para a concessionária Odebrecht Ambiental, o reajuste autorizado pela agência “e debatida em audiência pública no dia 1º de outubro, a atualização na tarifa visa recompor as perdas inflacionárias do último ano e considera os impactos do aumento em energia elétrica, os investimentos, os custos de operação dos sistemas e compromissos da concessionária Odebrecht Ambiental”.

“Com o reposicionamento da tarifa, o consumo mínimo residencial de água de 10 metros cúbicos em Santa Gertrudes passará dos atuais R$ 20,80 para R$ 29,80. Considerando que a maior parte da população consome o mínimo de 10 metros cúbicos, a família gertrudense que atualmente paga, em média, R$ 0,69 por dia pelos serviços de água e esgoto no município, passará a ter um custo de R$ 0,99 por dia pelos serviços. Vale ressaltar que Santa Gertrudes é um dos poucos municípios da região com os serviços de água e esgoto universalizados, ou seja, com 100% de abastecimento de água, 100% de coleta e 100% de tratamento de esgoto; tendo sido também um dos municípios da região capazes de enfrentar a estiagem de 2014 sem racionamento.”

“Os critérios para reajuste tarifário são sempre técnicos e definidos por uma agência reguladora. A concessionária não tem autonomia para definir valores ou reajustes. Nosso compromisso é buscar o equilíbrio financeiro que permita manter a qualidade dos serviços que hoje é aprovada por 79% dos gertrudenses”, destaca a diretora da Odebrecht Ambiental em Santa Gertrudes, Paula Violante.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: