Fé e persistência motivam ciclistas até Aparecida

295

Lucas Calore

A fé pode transformar as pessoas em vários sentidos e a superação de desafios torna-se uma peça fundamental para quem procura realizar uma peregrinação. Com inspiração no Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, o Caminho da Fé foi inaugurado no ano de 2003 no Brasil com destino ao Santuário Nacional de Aparecida.

O roteiro principal parte de Águas da Prata (SP), atravessando a extensa Serra da Mantiqueira e diversos municípios entre São Paulo e Minas Gerais. Há, ainda, seis ramais que partem de outras cidades para o mesmo destino, totalizando quase 1.000 km de trilhas.

Superação

No último feriado prolongado de Corpus Christi, entre os dias 15 e 18, o rio-clarense Lucas Novais, de 23 anos, partiu de bicicleta para realizar o Caminho da Fé. Foi a segunda vez que ele realizou a atividade, mas com dois diferenciais: desta vez sozinho e diretamente de Rio Claro. “Sai da cidade no dia 16 e fui até o Pico do Gavião, em Águas da Prata, num trajeto de 160 km. No sábado (17), pedalei 100 km e no domingo 210 km, num total de 470 quilômetros em três dias”, detalha.

Por pedalar desde os 14 anos de idade e já conhecer o trajeto, Lucas conta que precisou apenas da própria fé para completar o caminho, que passa pela cidade de Campos do Jordão, um dos locais mais frios de trechos de serra do estado. “Decidi fazer esse desafio ainda maior. A questão religiosa também é muito importante. Como o pedal foi mais rápido, não consegui apreciar muito as paisagens. Cheguei a Aparecida no período da noite, após pedalar 12 horas. Estou me programando para fazer novamente este ano com outro amigo”, revela.

Devoção

Grupo de ciclistas se reúne anualmente para fazer o Caminho da Fé
Grupo de ciclistas se reúne anualmente para fazer o Caminho da Fé

A advogada Simone Cristina Machuca, de 33 anos, e seu marido André sempre foram devotos de Nossa Senhora Aparecida. Em certa época, começaram a praticar pedal e descobriram a existência do Caminho da Fé por vários amigos que já o tinham feito. No ano de 2014, André fez o trajeto pela primeira vez com um amigo também no feriado de Corpus Christi.

“Ficaram encantados e eu também queria fazer. Só pude fazê-lo na época do Natal. Fiquei apaixonada e queria que meus amigos que pedalam tivessem a oportunidade de passar por aquelas sensações, pedalar na natureza que é maravilhosa e chegar a Aparecida e encontrar Nossa Senhora. É uma sensação inexplicável”, conta.

Já em 2015, com um planejamento de datas considerando o clima, no feriado de 7 de setembro, em nove amigos, partiram em viagem. Em 2016, organizaram-se em 22 pessoas para mais uma edição da atividade e, em 2017, em setembro, irão cerca de 15 amigos novamente persistir pelo Caminho da Fé.

“Lá tudo acontece, é mágico. Temos oportunidade de ter contato com pessoas maravilhosas que mostram o verdadeiro sentido da vida. Que não precisamos de muito para viver. É um encontro interior consigo mesmo, para rezar e agradecer por tudo aquilo de bom”, finaliza Simone.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: