Fábrica abandonada na Vila Cristina aflige vizinhança

63

Sidney Navas

A prefeitura municipal, por intermédio de sua assessoria de imprensa, esclarece que a devida manutenção e limpeza de imóveis particulares são de responsabilidade de seus proprietários
A prefeitura municipal, por intermédio de sua assessoria de imprensa, esclarece que a devida manutenção e limpeza de imóveis particulares são de responsabilidade de seus proprietários

 

Os vizinhos de uma fábrica desativada na Avenida Joaquim Ribeiro, no bairro Vila Cristina, é motivo de dor de cabeça para a vizinhança. Eles contam que, além do cenário de total abandono, o mato cresce cada vez mais, atraindo bichos como insetos, ratos e baratas. Como se não bastasse tanto transtorno, os moradores argumentam que a caixa d’água da fábrica pode cair a qualquer momento. No local, de acordo com os vizinhos, funcionava uma empresa responsável pela fabricação de lacres para embalagens, que acabou fechando há anos.

O operador de injetora Alexandre Rodrigues da Silva, que mora ao lado da edificação, teme pela saúde de seus filhos. “Tenho crianças pequenas aqui em casa. Recentemente eu mesmo providenciei a limpeza do mato, que voltou a crescer de novo. Algo precisa ser feito”, dispara o operador de injetora.

A prefeitura municipal, por intermédio de sua assessoria de imprensa, esclarece que a devida manutenção e limpeza de imóveis particulares são de responsabilidade de seus proprietários.

“Se a prefeitura recebe alguma denúncia referente a imóvel abandonado, a demanda é encaminhada para o setor a que se refere a denúncia, para que seja feita vistoria no local e adotadas as providências cabíveis. Em relação à caixa d´água, a Defesa Civil irá ao local para verificar a situação. Os demais problemas têm de ser encaminhados aos setores respectivos”, finaliza o comunicado oficial enviado à redação do Jornal Cidade.

Esta é uma reprodução da notícia publicada na edição impressa do Jornal Cidade

 

DEIXE UMA RESPOSTA