“Eu vou resolver o problema da iluminação pública na cidade”, diz prefeito Du Altimari

133

Ednéia Silva

O prefeito Du Altimari em entrevista no estúdio da Rádio Excelsior Jovem Pan na última segunda-feira (22)
O prefeito Du Altimari em entrevista no estúdio da Rádio Excelsior Jovem Pan na última segunda-feira (22)

Neste aniversário de 188 anos de Rio Claro, o Jornal Cidade traz uma edição especial do Café JC com uma entrevista do prefeito Palmínio Altimari Filho, o Du Altimari. O chefe do executivo municipal fala sobre os projetos em andamento no município e outros temas. O áudio completo da entrevista pode ser conferido no player abaixo do texto.

Jornal Cidade – Quais os projetos em andamento você destaca em Rio Claro?

Du Altimari – Todas as ações e obras são importante porque formam um conjunto. Uma obra que está pronta para sair é o ginásio de esportes do Cervezão. Acho que é uma conquista muito grande ter um ginásio daquele tamanho 50 anos depois da inauguração do Ginásio de Esportes Felipe Karam. Vai ser a casa do futebol de salão, um esporte que não está no mesmo ritmo de outras épocas e que a gente pretende retomar e ocupar a Lagoa Seca.

JC – Rio Claro tem algumas obras aguardadas em atraso, como a Fatec e o Instituto Federal de Educação. Como está a situação desses projetos?

Altimari – O Instituto Federal está terminando a reforma de um dos prédios da antiga Unesp onde funcionava a Física. Nós vamos fechar onde era o hexágono e correr atrás de recursos para se fazer a reforma. Acredito que o Instituto Federal deva começar o ano com peso total. E a Fatec também. A Fupam terminou o projeto executivo que já foi encaminhado para a Fundação Paula Souza, que está preparando a licitação para uma obra de R$ 27 milhões. Feita a licitação será contratada a empresa para realizar a obra. A Fatec existe de fato, vai acontecer e a obra vai começar ainda neste ano.

JC – Por que a prefeitura não realizou mais a festa aviatória no aniversário da cidade?

Altimari – A festa aviatória não depende da prefeitura. Nós fizemos o pedido para Pirassununga para que a Esquadrilha da Fumaça viesse se apresentar em Rio Claro. A informação que recebemos é que eles estão mudando os aviões e estão numa fase de treinamento. Por isso a Esquadrilha da Fumaça não está fazendo apresentações. E para não perder essa tradição, desde o início do nosso governo nós trouxemos o balonismo.

JC – Como está o andamento do projeto de construção do aeroporto regional?

Altimari – Estou muito feliz porque as coisas realmente avançaram. Na semana passada foi definido que a pista vai ficar dentro dos municípios de Rio Claro e de Iracemápolis. Foi definido também o tamanho da pista, que terá 1.730 metros. Poucos aeroportos do Brasil têm essa dimensão de pista. A Secretaria de Aviação Civil já encaminhou ao Banco do Brasil a autorização para fazer a topografia da área. Após isso vamos ter que discutir as licenças ambientais e a desapropriação da área. A torcida dos técnicos em Brasília é que a gente consiga fazer a licitação até o final do ano.

JC – Existem muitas reclamações com relação à iluminação pública. Há previsão de solução dos problemas?

Altimari – Estamos trabalhando com quatro equipes na cidade. Um caminhão troca por volta de 20 lâmpadas por dia. Só que queimam, em média, 15 lâmpadas por dia na cidade. Vamos demorar uns 60 dias para colocar a casa em ordem. A partir daí é nossa expectativa e também da empresa que o tempo de resposta para troca de lâmpadas seja de 24 ou 48 horas. Fui para a Justiça evitar a transferência da iluminação pública para a prefeitura, mas a Aneel transferiu. Eu vou resolver o problema da iluminação pública de Rio Claro com a contribuição de energia e a empresa contratada, e vocês vão poder cobrar de mim.

JC – Por que algumas cidades resolveram não instituir a taxa de iluminação e Rio Claro criou a taxa?

Altimari – A contribuição de iluminação pública não foi inventada na cidade de Rio Claro. Ela existe desde 2003. Em Rio Claro as demandas de serviços são muito grandes. Se você morar em Analândia, Ipeúna, Corumbataí e Santa Gertrudes terá um custo diferente do custo de morar em Rio Claro, uma cidade de 200 mil habitantes, que tem tudo que uma cidade grande tem num índice menor. Só que você tem de 23 mil a 25 mil pontos de iluminação que precisam de manutenção e gastam energia. Tem que saber o que é custeio e investimento. Quando se tem uma cidade com 51% de folha de pagamento na prefeitura você não tem capacidade de investimento. Por isso, foi necessária a contribuição da iluminação pública para se manter a normalidade do custeio e as coisas em funcionamento.

JC – Qual sua opinião sobre o aumento de cadeiras na Câmara Municipal? Rio Claro precisa de mais vereadores?

Altimari – Eu sou a favor da representação. Rio Claro já tinha 19 vereadores e, se a Câmara aprovar o aumento, vai recuperar alguma coisa que tinha perdido, que é a sua representação. Porque fica somente uma elite daqueles vereadores que já estão e continuam e a renovação fica muito pequena. Do jeito que a Câmara está fazendo, que é aumentar o número de vereadores, sem aumentar o repasse, acho que é perfeitamente viável. Se for aprovado, acho que Rio Claro vai ganhar muito com isso.

4 COMENTÁRIOS

  1. Uma pena ter esse pensamento de ser a favor do numero de vereadores, como em sua entrevista o Sr prefeito afirmou que a cidade não possui 1 centavo. E vai onerar ainda mais o município?

  2. A cidade não tem dinheiro para nada, mas, para fazer propaganda em horário nobre na tv tem verba, e porque ele compara Rio Claro com cidades menores, em Limeira e Piracicaba que são cidades mais populosas que Rio Claro o munícipe não foi onerado com a taxa de luz, a prefeitura vai assumir os gastos, até quando este senhor vai pensar que pode enganar o povo da cidade.

  3. É lamentável esse tipo de pensamento por parte do prefeito pois dele depende em muito o desenvolvimento da cidade. Já perdemos muito com ele. O projeto do aeroporto é uma prova da incompetência dele e seus antecessores pois sempre é usado como trampolim para eleição. Nesse pacote de terceirização da presidente Dilma consta a privatização do aeroporto de Araras que sem dúvida deve arquivar lamentavelmente o desejo da população de Rio Claro de ter um aeroporto decente com pista asfaltada e somado as perdas de industrias para outras cidades da região, teremos que amargar mais esse dissabor. Agora aumentar a quantidade de vereadores no nível dos existentes seria melhor diminuir, pois barco com destino errado é melhor desligar o motor, baixar as velas e deixar à deriva e seja o que Deus quiser.

  4. A maior realidade para conhecimento de um cidadão, trata o processo de ética dentro da Administração Municipal. Todo Politico quando candidato, apresenta consideradas promessas de campanha; sim, ele quer entrar e fazer tudo que ele planejou. Mas o caminho ético da Administração determina por Diretriz que as pautas são obrigadas a seguir o orçamento para OBRAS de Curto – Médio – Longo Prazo.
    Existem Obras hoje sendo realizadas que já seguem aprovadas de 10 anos passados; mas somente agora podem ser adequadas na demanda de orçamento.
    Hoje um Vereador coloca um Projeto, mas sua magnitude pode ser de longo prazo; só será executada na ordem da Diretriz, o que pode ocorrer nos próximos 10 anos.
    Quanto a Iluminação Publica, isto é considerado inclusive como prioridade ou como de primeira necessidade; são quase 200 mil habitantes com atividade diárias com períodos diurnos e noturnos; a cidade já vive quase que 24 horas ativa no seu desenvolvimento . Esse viver ativa não quer dizer: Um boteco aberto ou uma lanchonete ou danceteria; é o conteúdo de desenvolvimento unificado de trabalho.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: