Eleições: aumenta lista dos “prefeituráveis”

148

Favari Filho

AGNELO MATOS (PT) disse estar contente por figurar entre os cotados para a disputa, porém a intenção do grupo é seguir unido, ou seja, “neste cenário, todos os nomes apresentados pelos partidos da Frente Progressista serão igualmente avaliados”. O petista ainda aproveitou para enfatizar que “não se pode ser candidato de si mesmo, primeiro preciso construir minha candidatura dentro do meu partido para depois ser apreciado pelo grupo”.

ALCIR RUSSO (PV) também acredita que o momento é de construir a candidatura no grupo. “Não há qualquer alinhamento fora do PV. Estamos, por enquanto, estruturando o projeto que a cada dia ganha corpo e força.” Quanto às possíveis alianças, enfatizou que o PV tem um viés marcadamente ideológico, “cuja força da aliança vem do programa e não do interesse eleitoreiro”.
“O diálogo está aberto”, expôs ANDERSON GOLUCCI (PSB), que revelou haver nomes e partidos fortes que podem apoiar o projeto. “Trabalhamos hoje com um único propósito: o de oferecer uma opção nova com um plano de governo estruturado; tenho certeza de que iremos com a campanha até o final. Se de alguma forma não encabeçarmos o pleito, poderemos conversar com o grupo que mais estiver próximo da nossa filosofia e do nosso projeto.”

Quanto aos questionamentos feitos pela reportagem, o CORONEL BELLAGAMBA (PTB) esclareceu que ainda é muito cedo para falar com convicção sobre uma possível candidatura, muito embora apareça como alternativa para os petebistas. Bellagamba enfatizou que tudo “vai depender das decisões que serão discutidas quando da convenção partidária, apesar de que, informalmente, o diretório vem conversando com lideranças buscando um alinhamento de propostas para Rio Claro”.

O atual vereador DALBERTO CHRISTOFOLETTI (PDT) também pode aparecer como uma opção de escolha, pois o seu partido lançou sua pré-candidatura com EDSON KETAL a vice em uma possível chapa pura, porém a agremiação faz parte da base do GOVERNO ALTIMARI e, se não romper, terá que ter aprovação da Frente Progressista. “É cedo para dizer qual nome apoiaríamos, mas terá que ser alguém com reconhecida postura ética, grande capacidade de diálogo, que conheça a cidade e tenha personalidade para comandar as transformações em Rio Claro.”

Um dos possíveis escolhidos para dar continuidade ao Projeto de Governo da atual administração é GUSTAVO PERISSINOTTO (PMDB), cuja prioridade no momento, conforme informou à reportagem, “é continuar desenvolvendo meu trabalho à frente da Secretaria de Negócios Jurídicos”. O peemedebista enfatizou que não há nada ainda definido, mas expôs com tom de quem já está na disputa: “Estou honrado por ser lembrado para o cargo de candidato a prefeito da cidade que amo e em que vivo com minha família; sei que estou preparado para a tarefa, mas também sei que o importante é manter o time capitaneado por DU ALTIMARI unido”.

JOÃO VIEIRA (PMDB), por sua vez, preferiu manter a discrição e foi sucinto na resposta ainda que também figure como um forte candidato do PMDB. “Faço parte da Frente Progressista composta por diversos partidos aliados [atualmente PMDB, PT, PP, PDT, PR, PCdoB, PSC, PRT, PRB] e ainda não temos candidatos definidos. Temos diversos pré-candidatos que devem ser analisados antes que seja definida a chapa.”

O líder da bancada do Democratas no Legislativo, JUNINHO DA PADARIA (DEM), também economizou nas palavras e, à reportagem, informou que o partido segue em discussão. “Agradeço a receptividade e o apoio que tenho recebido nos quatro cantos da cidade. Faço parte de um grupo que quer o melhor para o município. Enquanto o nosso partido não decidir em conjunto com os outros partidos, não tenho nada a declarar. É uma decisão partidária e não apenas minha.”

MARCOS HOFLING (PSDB) deixou claro que está aberto a conversas com outros partidos que tenham o mesmo objetivo que o PSDB. “Em nenhum momento abrir mão da candidatura foi cogitado; tenho certeza de que posso contribuir muito para o crescimento da cidade, sei que estou preparado para administrar Rio Claro”. O ex-prefeito NEVOEIRO JUNIOR (DEM) depende de uma decisão judicial que acontece em abril e, caso o parecer seja favorável, enfatizou que será “candidato com certeza. Tenho recebido muito apoio à minha candidatura, além de convites de partidos, mas devo sair pelo Democratas”.

FRANCISCO QUINTINO (PPS) revelou que tem sido cogitado tanto para prefeito quanto para vice, mas que os partidos que podem compor uma chapa em 2016 [PPS, PSB e PTC] estão conversando e montando o projeto político. “O PSB tem ANDERSON GOLUCCI como pré-candidato a prefeito e meu nome como vice, no entanto, o partido tem prefeituráveis como ALVIMAR GUEDES e CAPITÃO MARCOS QUEIRÓZ.”

“Até o momento não tenho interesse em concorrer”, enfatizou JOÃO WALTER (PSDB). De acordo com o peessedebista, o partido iniciou o ano discutindo prefeituráveis, pois o PSDB enviou normativa que exige candidatura em cidades com mais de cem mil habitantes. “Já temos alguns nomes que vão disputar as internas: ADRIANO MARCHI, PAULO GUEDES, PROFESSOR CHAGAS E WAGNER BAUNGARTNER. Não vamos sair com chapa pura, o intuito é compor com um partido alinhado ao projeto político, pode ser o DEM ou o PTB.”

O presidente da Câmara de Vereadores, JOÃO ZAINE (PMDB), ponderou: “vivemos um momento em que partidos trabalham com nomes a pré-candidatos. A escolha deve acontecer dentro do PMDB de forma tranquila e democrática”. O vereador lembrou que “o mais importante não é o nome, e sim o projeto que estamos montando em várias mãos. Caso o PMDB confirme a candidatura a prefeito, o nome do candidato a vice, com certeza, sairá de um consenso dos demais partidos que irão formar a coligação”.

RONALD PENTEADO (PP), como a maioria dos entrevistados, também foi ponderado na resposta. “A candidatura, seja a prefeito ou vice, não é de vontade própria, pelo contrário, o político precisa representar um projeto político coletivo.” O progressista disse, porém, que vai continuar visitando famílias e apurando as reais necessidades da cidade, no intuito de projetar o trabalho a ser desenvolvido.

TU REGINATO (PTB) cientificou que tanto a executiva municipal, quanto a estadual, já definiram como pré-candidato o CORONEL BELLAGAMBA. Sobre concorrer a vice em uma chapa pura, o presidente do sindicato dos Funcionários Públicos não descartou a possibilidade, entretanto, reiterou que vai depender do andamento das conversas. “Como sabemos, a política é muito dinâmica e todas as possibilidades devem ser analisadas, nunca esquecendo o objetivo principal, que é buscar o bem-estar do povo rio-clarense.”

3 COMENTÁRIOS

  1. Nunca se teve na historia da cidade de RIO CLARO tantos candidatos, com pretensão a ser prefeito, da cidade azul,tem perfil para todos os gosto,Mas como o tempo amadureceu , a inteligencia, do povo rio clarense, para fazer a escolha certa , para não ficar choramingando, os próximos quatro anos, que sucedem o mandato do novo prefeito …..vale apena analisar detalhadamente o perfil destes supostos candidatos, saber exatamente o que eles representam ,o que fizeram,pelo povo e o que **não** fizeram, para a sociedade rio clarense!!!

  2. JORNALISMO FRACO DE RIO CLARO

    É com espanto que leio a matéria do “principal” jornal de Rio Claro, tendo em vista ainda que conheço a família dona desta veículo de informação.
    Vocês estão omitindo candidatos. Por que?

    Existe uma decadência da política brasileira, na qual tanto esquerda quanto direita vem perdendo importância no cotidiano da população. Eu, que sou de esquerda, a cada ano que passa me frustro mais com o que o PT vem se tornando.
    Deste cenário surge um partido que procura lutar pelos pobres sem estar de mãos dadas com os ricos. PSOL.

    O diretor executivo deste jornal, Luís Augusto de Magalhães, frequenta as sessões da câmara municipal de Rio Claro e conhece muito bem a política antiempresarial que o PSOL tensiona no poder legislativo da cidade.

    Se conhecem o PSOL por que o candidato deste partido não esta aqui nessa matéria???

    Jornalismo que não informa.

    JORNALISMO FRACO DE RIO CLARO

DEIXE UMA RESPOSTA