Distrito Industrial é pauta durante sessão da Câmara

66

Laura Tesseti

Novamente a necessidade da criação de um Distrito Industrial na cidade foi pauta durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de Santa Gertrudes.

O presidente da Casa, Marcelo Ferreira, levantou a questão de a prefeitura ser a “empresa” que mais emprega no município. “A maior empresa de Santa Gertrudes, quando o assunto é empregabilidade, é a nossa prefeitura, não podemos deixar que isso siga assim, precisamos de mais oportunidades para o nosso povo.”

O vereador e também engenheiro civil Levy Xavier Ferraz apontou o problema da falta de área. “Não adianta fazermos leis que facilitem a entrada de empresas em Santa Gertrudes, sendo que não temos áreas para oferecer. É preciso cuidar dessa questão antes de incitarmos o mercado a trazer as indústrias para cá.”

Presidente da Casa fala sobre a necessidade da instalação de novas empresas em Santa; Distrito Industrial seria a solução
Presidente da Casa fala sobre a necessidade da instalação de novas empresas em Santa; Distrito Industrial seria a solução

Marcelo concorda com o companheiro de casa e propõe até a desapropriação de áreas que não estão sendo usadas. “Mesmo que seja necessário desapropriar algumas áreas, precisamos de uma solução.”

O presidente da Câmara ainda cita o fato de Santa Gertrudes possuir, em sua grande maioria, indústrias do setor cerâmico e questiona o futuro do município, caso essas empresas passem por contratempos. “Caso aconteça algo com esse setor, o que será de nossa cidade?”

A ideia do vereador ainda é transformar o distrito em um local independente. “Podemos ter lanchonetes, creches, farmácia, tudo em um só local. A pessoa chega para trabalhar, deixa o filho na creche, pode almoçar por lá, cuidar de algumas situações ao lado do local de trabalho”, fala Marcelo.

Uma linha de ônibus própria também é um dos elementos que seriam implantados no Distrito Industrial de Santa Gertrudes, colaborando ainda mais com a vida e locomoção dos trabalhadores gertrudenses.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: