Cuidados ao comprar produtos na Black Friday

97

Vivian Guilherme

DSC03709

Famosa nos Estados Unidos, a Black Friday – dia de liquidação de final de ano – acontece nesta sexta-feira (28). E a expectativa é de que sejam realizadas 61 compras por segundo, gerando cerca de R$ 1,54bi em vendas, segundo levantamento feito pela consultoria Conversion, especializada em internet e otimização de sites.

Apesar dos preços baixos, na maior parte dos produtos, a orientação é para o consumidor ter cautela e não gastar mais do que pode. “Os consumidores ficam tão preocupados em checar a relevância dos descontos durante o evento que muitas vezes se esquecem do mais importante: avaliar suas necessidades para escolher o produto desejado.

Quem procura um notebook, por exemplo, precisa responder a uma série de perguntas sobre a utilidade que terá o dispositivo para encontrar o modelo ideal. Se a pessoa busca um dispositivo para trabalhar, é melhor optar por um modelo que tenha um processador mais ágil. Já quem pretende usá-lo para jogar, vale investir em um com uma placa de vídeo mais potente e com mais memória RAM”, comenta Paulo Guedes, especialista de produtos do Zoom, site comparador de preços.

Vale ressaltar que além do comércio virtual, este ano algumas lojas físicas já informaram que vão participar da Black Friday. “A Black Friday cresceu muito na internet e vem ganhando maior relevância nas lojas físicas, por isso, faremos uma ação integrada e multicanal”, afirma Ilca Sierra, diretora de Marketing Multicanal do Magazine Luiza.

Para quem pretende aproveitar os descontos nas lojas físicas, a principal dica é ter uma dose extra de paciência. “Muitas vezes, por estarem estressadas, as pessoas compram por impulso, sem pesquisar, e, em função disto, pagam mais”, lembra o educador e terapeuta Reinaldo Domingos, autor das obras Livre-se das Dívidas e Terapia Financeira (Editora DSOP).

Veja outros cuidados que devem ser tomados que a DSOP Educação Financeira pontuou para economizar na hora de comprar na Black Friday:

  • Não compre se para isso precisar se endividar. Parcelamento também é uma forma de dívida. Se for inevitável, tenha certeza de que cabe no orçamento.
  • Analise se a compra não trará custos extras para a família ou para a pessoa posteriormente.
  • Se antecipe à Black Friday, pesquisando os preços dos produtos que deseja comprar para ver se os descontos que darão realmente são interessantes.
  • Faça uma lista detalhada de tudo que pretende comprar e quem deseja presentear e quanto pretende gastar com cada um.
  • Se estiver em situação financeira problemática, e quiser adiantar as compras de Natal, uma dica é priorizar as crianças. Será mais fácil explicar para os adultos ou jovens o motivo de não receberem presentes.
  • Utilize a internet como meio de pesquisa, mas cuidado, só acesse e compre em sites confiáveis, crimes digitais são cada vez mais comuns.
  • Se prepare para ir às compras nas lojas com tempo e roupas confortáveis, além disso é importante uma dose extra de paciência, evitando que se compre rapidamente para acabar com o martírio.
  • Procure, por meio de conversas, saber quais são os reais desejos das pessoas. Muitas vezes se compra coisas caras, sendo que presentes baratos seriam muito mais bem vindos.

COMERCIANTES

O IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo) e a Fundação Procon-SP elaboraram uma lista com uma série de recomendações às empresas participantes da Black Friday. Esta iniciativa visa a evitar que eventuais falhas afetem a credibilidade desse mercado, prejudicando o consumidor.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: