Cordeirópolis deve ter segunda Estação de Tratamento de Água

68

Divulgação

O convênio faz parte do PAC 2 que teve sua portaria publicada no Diário Oficial da União nessa última terça-feira, 6
O convênio faz parte do PAC 2 que teve sua portaria publicada no Diário Oficial da União nessa última terça-feira, 6

O prefeito Amarildo Zorzo esteve nesta semana em Brasília, onde assinou o convênio com o governo Federal, por meio da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), para construção da segunda estação de tratamento de água de Cordeirópolis. O convênio faz parte do PAC 2 que teve sua portaria publicada no Diário Oficial da União nessa última terça-feira, 6.

O valor da obra é R$ 12.310.215,00. Conforme o projeto, a nova estação terá capacidade para tratar cerca de 120 litros de água por segundo. A nova ETA será construída em uma área de 22 mil metros quadrados próximo a rodovia Constante Peruchi. O prazo de execução da obra é de 18 meses é expetativa é de que comece ainda neste ano. A estação atual trata 55 litros por segundo. De acordo com o prefeito, a nova estação trará uma melhora significativa no volume e na também na economia no processo de tratamento.

A nova estação atenderá a cidade pelos próximos 30 anos, sendo ainda que ela tem uma estrutura que permite sua ampliação e mais três módulos. “A localização em que ela (a estação) será construída permitirá um bombeamento e distribuição mais eficiente por conta da altura em que está localizada”, destacou.

Ainda segundo Zorzo, os projetos para a obra foram feitos no início de 2013, embora o terreno já havia sido adquirido no ano anterior. “A prefeitura executou os projetos básicos e executivos, que custaram R$ 270 mil, e ter o planejamento em mãos beneficiou o município na concorrência com outros. No Estado, foram cerca de 90 projetos, tendo Cordeirópolis se mantido entre os 20 selecionados em São Paulo, com o maior valor de obra”, destacou o prefeito.

Avaliação

O presidente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) Giovane Genezelli, explica que a estação atual é da década de 70 e não tempo possibilidade de expansão. “A nova estação é completa e conta com todo sistema de monitoramento, desidratação de lodo, laboratórios de análises e sistema de reuso de água eliminando as perdas”, explicou Genezelli que esteve junto com Zorzo em Brasília.

Recentemente Cordeirópolis também anunciou a assinatura do convênio para construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), a obra viabilizada por meio do governo do Estado está avaliada em R$ 14, 7 milhões e faz parte do programa “Água Limpa”, e fará com que o município tenha 100% de esgoto captado e tratado. Já estas obras devem ser iniciadas nos próximos dias.

DEIXE UMA RESPOSTA