Câmeras de segurança no combate ao crime

73

Sidney Navas

Objetivo é instalar os equipamentos nas entradas e saídas de Santa Gertrudes, na área central e nos arredores das escolas e praças públicas

GM4
Comandante da Guarda Civil Municipal de Santa Gertrudes ressalta investimentos na área

Santa Gertrudes continua crescendo. Portanto é inegável que junto com o progresso, a violência, em muitos casos também ‘pega carona’, e hoje a cidade não é mais considerada por todos tão segura assim, como no passado nem tão distante assim. Se antecipando aos novos desafios neste quesito, a Prefeitura Municipal estuda a implantação de modernas câmeras de segurança 24 horas por dia em todo o perímetro urbano. O comandante da Guarda Civil Municipal, Heráclito Soares Barbosa, conta que os estudos já tiveram início. “A intenção é adquirir ao menos vinte equipamentos que serão distribuídos nas entradas e saídas da cidade, no Centro e perto das escolas e praças públicas”, observa.

Contando com um efetivo de 25 guardas civis, cinco viaturas e duas motocicletas a ideia é garantir o combate efetivo à criminalidade sem deixar de lado a qualidade dos serviços prestados. “Quanto a isso, estamos ainda na fase inicial e o processo licitatório não começou. Tão logo esses trâmites sejam superados, vamos comprar as câmeras, montar e adequar uma central de monitoramento e fiscalizar tudo o que se passa dentro de Santa Gertrudes”, assegura o comandante. Toda essa preocupação se faz presente, por razões óbvias, já que o município apresenta um alto poder aquisitivo o que desperta o interesse dos criminosos e quadrilheiros. Prova disso é que ao menos duas vezes, bandidos fortemente armados investiram contra dois caixas eletrônicos. Outro fator relevante que pode alimentar a violência se deve ao fato de Santa Gertrudes ser cortada por movimentadas rodovias do Brasil.

“O avanço da criminalidade é uma triste realidade vivenciada por praticamente todos os municípios brasileiros e aqui não poderia ser diferente. Mas, por outro lado, estamos nos preparando para enfrentar essa situação. Não vamos esmorecer”, pontua o comandante. Ocorrências como roubos e tráfico de drogas afligem as autoridades. Ao contrário de outras localidades, a ‘capital da cerâmica’ até o momento não contabilizou nenhum assassinato, o que é muito bom. Por isso ele reforça o trabalho em conjunto desenvolvido com a Polícia Militar. “Agimos em parceria sempre que precisamos e isso só nos fortalece”, enfatiza. A administração da GM funciona agora em um prédio alugado no bairro Jardim dos Ypês e, anexo ao Terminal Rodoviário, está seu setor operacional e o Departamento de Trânsito.

VOCAÇÃO COMUNITÁRIA

Na opinião do comandante, toda e qualquer Guarda Civil, já nasce com a vocação natural de ser comunitária. “Essa convivência pacífica entre corporação e população é extremamente relevante. Ao contrário de antes, hoje as pessoas aceitam e se acostumaram com os nossos serviços. Somos elogiados e quando criticados tentamos aperfeiçoar nosso atendimento, na busca incansável de um atendimento eficiente”, fala o comandante da GM. Além disso, a administração pública investiu em novas viaturas, no treinamento dos guardas e com a compra de novos fardamentos. Mas isso não é o suficiente. Como a diz a própria Constituição Federal, a segurança pública é um direito e responsabilidade de todos. “Sabemos de nossas obrigações sem dúvida, mas o engajamento da sociedade civil nestas questões colabora bastante. Daí a necessidade de reforçar valores como a família e religião, que são as bases para esse enfrentamento”, destaca Heráclito.

Por isso faça a sua parte denunciando a ocorrência de crimes de qualquer natureza, principalmente no que tange ao tráfico de drogas que dizima e frustra as expectativas dos jovens enganados pela falsa ilusão criada com o uso ilegal de substâncias entorpecentes. Não tenha medo. Sua identidade é mantida em absoluto sigilo.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: