Brasil tem quase 3 mil obras paradas, aponta estudo da CNI

106

Agência Brasil 

Quase 3 mil obras estão paralisadas no Brasil e 48% dos empreendimentos que não chegaram ao fim são construções de creches, pré-escolas e quadras esportivas.

É o que aponta o estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) realizado com base nos dados fornecidos pelo governo.

A especialista da CNI em Infraestrutura, Ilana Ferreira , diz que o Brasil investe pouco no setor,  2% do Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todas as riquezas produzidas no país.

Ela diz que o país acaba desperdiçando recursos em razão do excesso de obras interrompidas antes do prazo de entrega.

O  saneamento é o setor mais  prejudicado com obras paralisadas. Atualmente são 447 empreendimentos interrompidos na fase de execução.

Segundo a especialista, muitos projetos acabam sendo inadequados ou quando o recurso é liberado o valor já está defasado.

Isso acontece principalmente com os estados e municípios.

As obras paradas de infraestrutura já custaram quase R$ 11 bilhões aos cofres públicos, um problema antigo que persiste ao longo dos anos, de acordo com Ilana.

Um problema de planejamento, na avaliação do presidente da Associação Nacional dos Especialistas em Políticas e Gestão governamental, Alex Canuto.

Ainda segundo o estudo, mais de 30% dos trilhos de trem do Brasil estão em desuso.

 Ilana afirma que a crise econômica e fiscal agravou o quadro, mas não pode ser apontada como único motivo para tantas obras paradas e enumera as soluções propostas pelo documento.

Para Alex Canuto, a má gestão e irregularidades nas licitações das obras são fatores relevantes.

Em nota, o Ministério do Planejamento informou que tem atuado para trazer mais eficiência aos investimentos em infraestrutura.

A estratégia adotada pelo governo foi a concentração de recursos e esforços para conclusão total ou etapas úteis de obras já iniciadas e a retomada de obras estruturantes que estavam paralisadas, diz a nota.

A pasta informou que no último levantamento feito 58% das obras, com valor entre R$ 500 mil e R$ 10 milhões,  estavam paralisadas e foram retomadas.

Ao todo, 922 empreendimentos foram retomados, dos quais 255 já estão concluídos, destaca o Planejamento.

Perguntado sobre alto número de obras inacabadas  na área de saneamento, o Ministério das Cidades informou que não vai se pronunciar.Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA