Bexigas e brinquedos de plástico representam risco para crianças

170

Ednéia Silva

Passo a passo para realizar a Manobra de Heimlich, técnica usada em caso de asfixia
Passo a passo para realizar a Manobra de Heimlich, técnica usada em caso de asfixia

Coloridas e divertidas, as bexigas sempre fazem parte das festinhas infantis. O que muita gente não sabe é que elas podem representar um risco para as crianças, principalmente quando são manuseadas sem a supervisão de um adulto. No último domingo (4), o ‘Fantástico’ exibiu o caso do bebê Mário Archangelo Damasceno Neto, de apenas sete meses, que aspirou uma bexiga e quase morreu sufocado. Felizmente, a história teve um final feliz.

Os médicos que o atenderam disseram que em quase 100% desses casos a criança morre. Dois fatos contribuíram para a sobrevivência de Mário: a agilidade da mãe em perceber o sufocamento e a família residir perto do hospital. Com a criança no colo, ela correu para o hospital, onde os médicos rapidamente atenderam a criança. Mário passou por cirurgia para retirada da bexiga do esôfago e passa bem. Infelizmente, a família de Cauã, de 10 anos, não teve a mesma sorte. Ele morreu engasgado no final de agosto após engolir uma bexiga.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) ressalta que os brinquedos devem ser apropriados à idade, ao interesse e ao nível de habilidade da criança. De acordo com a entidade, crianças muito pequenas não podem ter acesso a bexigas e outros brinquedos que sejam feitos de borracha, plástico ou que possam ser engolidos e que deslizem facilmente pela língua para a garganta.

Além disso, a SBP reforça que os pais devem comprar brinquedos certificados pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). No caso das bexigas, alguns fabricantes estipulam que o brinquedo deve ser manuseado somente por crianças a partir dos seis anos.

Alcione Oliveira Buzo, coordenadora do Samu (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência) de Rio Claro, comenta que em caso de asfixia é preciso saber como agir para socorrer a vítima, enquanto o socorro especializado não chega. “Nesse tipo de caso o fundamental é fazer a Manobra de Heimlich (pressionar o abdômen da pessoa) até a pessoa expelir. E chamar o socorro imediatamente”, recomenda.

A Manobra de Heimlich é uma técnica de primeiros socorros que consiste na realização de uma série de compressões no abdômen. A técnica é utilizada quando a vítima tem algum corpo estranho entalado nas vias respiratórias que a impeça de respirar. O uso correto da manobra pode salvar vidas. Por conta disso, o Samu ensina essa manobra em grupos de gestantes, escolas e empresas.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: