Bazar de Natal da Rede do Câncer tem várias opções

117

Vivian Guilherme

Toalhas para mesa, itens para decoração e presentes estão disponíveis no bazar da Rede
Toalhas para mesa, itens para decoração e presentes estão disponíveis no bazar da Rede

A Rede Rioclarense de Combate ao Câncer Carmem Prudente está com ótimas opções em seu tradicional Bazar de Natal. Com itens confeccionados pelas voluntárias da Rede, o Bazar conta com diversos itens com temas natalinos, desde toalhas de mesa a guirlandas, caixas e cestas decoradas e muito mais.

A voluntária Natalia Genari Krugner conta que a expectativa é vender todos os itens com a temática natalina até antes do Natal. “A procura é muito grande”, comenta a voluntária, que lembra ainda que há itens para a decoração da casa e também alguns que são ótimas opções para presentear, como toalhas de rosto, canecas, velas etc.

Nilce Malaspina, voluntária da Rede, conta ainda que alguns itens estão disponíveis para aluguel, como os bonecos de neve e as guirlandas. “Ainda temos algumas guirlandas para alugar, mas as árvores todas já foram alugadas”, afirma Nilce que diz que a época de Natal movimenta bastante o prédio da instituição, que fica localizado na Rua 1, entre avenidas 13 e 15. Informações pelo 3533-1003.

ÁRVORES DE NATAL

A voluntária Maria Helena Hebling, que trabalha na decoração das árvores de Natal, acrescenta que mais de 60 árvores foram alugadas este ano. “A procura foi maior do que no ano passado”, diz Maria Helena. A iniciativa em alugar as árvores teve início há cerca de seis anos e tem tido uma boa procura do público.

Vale lembrar que todo o artesanato é feito pelas voluntárias e toda a verba arrecada é revertida para a compra de medicamentos e fraldas.

BAZAR DE ROUPAS

Além dos itens natalinos, o bazar de roupas e acessórios também está em liquidação, tudo com 50% de desconto. Eliane Lopes, Elza Yuri Mizutani e Elza Iotti de Castro asseguram que as peças no bazar são de qualidade e estão em ótimo estado. Há conjuntos, sapatos, vestidos, roupas para homens, mulheres e crianças.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: