Bancários protestam contra demissões no banco HSBC

63

Ednéia Silva

bracos

O Sindicato dos Bancários de Rio Claro realizou manifestação em frente à agência do HSBC na manhã dessa quarta-feira (23) em protesto contra o fechamento de 20 agências em todo país e demissão de 142 funcionários. A mobilização da categoria foi de ordem nacional.

Em reunião na terça-feira (22), o diretor de Recursos Humanos do banco, Juliano Ribeiro Marcilio, confirmou o fechamento das 20 agências. Na ocasião, Marcilio disse que 70% dos trabalhadores serão realocados.

Fernando Pauleli, diretor do sindicato, explica que o protesto visa mostrar a indignação dos trabalhadores com relação à decisão da empresa de fechar agências e extinguir postos de trabalho. Em carta aberta distribuída pela entidade na manifestação dessa quarta-feira (23), o sindicato afirma que “Há 17 anos atuando no Brasil, a situação dos quase 23 mil funcionários do HSBC nunca esteve tão ruim. Por consequência, o banco inglês não oferece os serviços de atendimento com a qualidade e presteza que clientes e usuários merecem. Por isso, sobram filas, demora no atendimento e na solução dos problemas”.

Pauleli destaca que o HSBC é um dos maiores bancos do mundo e fechou 2013 com lucro de US$ 16,2 bilhões. No entanto, no Brasil, a empresa adota a política de reduzir custos. Ele acredita que a situação tende a piorar, já que algumas mudanças estão sendo implementadas pelo banco. As agências convencionais estão sendo transformadas em “agências de negócios”, com menor estrutura, e focam o relacionamento com cliente na “venda responsável de produtos”.

O sindicato critica essa postura de transferir as responsabilidades instituições para os funcionários, com ampliação de cobranças, sem que haja melhoria na infraestrutura interna.

O Sindicato dos Bancários de São Paulo alerta para o grande número de demissões nos bancos. Segundo a entidade, dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), divulgados no dia 17, mostram que, enquanto o país criou 344.984 empregos com carteira assinada no primeiro trimestre de 2014, os bancos fecharam 1.849 vagas. Somente nos cinco maiores bancos, que inclui o HSBC, o número de demissões foi ainda maior: 2.985.

O HSBC, por sua assessoria de comunicação, informou que “há comitês permanentes para a discussão de questões sindicais e por isso não comenta o assunto”.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: