Araras se despede do médico Ênio Vitalli na Biblioteca Municipal

413
Ramon Rossi

Amigos, colegas de profissão, bem como familiares e pacientes prestam as últimas homenagens ao médico Ênio Vitalli – que morreu na noite de quarta-feira (12), aos 91 anos de idade. O velório está acontecendo nesta sexta-feira (14) desde as 7h na Biblioteca Martinico Prado, no Centro. O sepultamento será às 17h de hoje, no Cemitério Municipal.

A morte do médico foi causada por um aneurisma de aorta abdominal, como foi noticiado pelo JC. Ele estava internado no Hospital da Unimed do município. A Prefeitura de Araras chegou a decretar, na última quinta-feira (13), luto oficial de três dias.

Nascido em São Sebastião da Grama/SP, Dr. Ênio mudou-se para São Paulo, onde concluiu o ensino fundamental e ingressou na Faculdade de Medicina da USP, em 1948. Concluiu o curso médico em 1953 e, em seguida, foi aprovado para residência no Hospital das Clínicas, onde trabalhou durante três anos, dedicando-se em especial à Cirurgia Geral.

Mudou-se para Araras, onde atuou como médico e também em praticamente todas as áreas diretivas da medicina. Foi diretor clínico da Santa Casa de Araras, por 16 anos, período em que colaborou na construção da nova maternidade e um novo hospital. Foi secretário municipal de Saúde, na gestão do então prefeito Warley Colombini, de 1997 a 2000, e também atuou como médico da rede municipal por décadas.

Ênio Vitalli ocupava o cargo de presidente do Conselho Superior da Fundação Hermínio Ometto, mantenedora da Uniararas. Em 2015, a FHO/Uniararas nomeou o prédio do curso de odontologia em homenagem a ele pelos anos de dedicação voluntária à educação e à instituição. Portanto, o prédio hoje é denominado Centro Odontológico Dr. Ênio Vitalli.

Ainda em vida, Ênio emprestou seu nome para a denominação do PSF (Programa de Saúde da Família) próximo aos bairros Santa Rosa, Santo Antonio e Piratininga, zona norte, hoje transformada numa UBS (Unidade Básica de Saúde).

Em 1981, Ênio Vitalli recebeu o título de Cidadão Ararense, outorgado pela Câmara Municipal. Escreveu artigos para jornais de Araras e, apaixonado pela escrita, em 2016 lançou o livro de memórias “Luzes do Entardecer”.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: