Após matar esposa, ex-sargento de RC é transferido para SP

115

Carine Corrêa

Arma calibre 380 utilizada por sargento
Arma calibre 380 utilizada por sargento

“Você pode me ajudar? Fiz uma cagada muito grande (sic)”. Foram estas as palavras do ex-sargento da Polícia Militar ao se referir ao crime praticado contra a esposa, a enfermeira Antonia Santa Pizante, 58 anos, em Rio Claro. As primeiras informações da notícia foram veiculadas aqui no site do Jornal Cidade minutos após o ocorrido.

As palavras foram pronunciadas em uma ligação no pátio do estacionamento da delegacia, situada no complexo policial da Avenida da Saudade. O aposentado assassinou a mulher com um tiro no abdômen na tarde dessa quarta-feira (25). O tiro foi feito por uma arma calibre 380. A mulher chegou a ser encaminhada com vida para atendimento médico na UPA 24 horas da Avenida 29.

Ela teria passado por cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos. O aposentado será encaminhado ao Presídio Militar Romão Gomes, em São Paulo, segundo informações da PM. O motivo teria sido passional, que segundo definição popular é aquele “praticado por paixão doentia, quando a pessoa perde o controle de suas ações.

É um crime cometido por pessoa dominadora, e sem o domínio de suas emoções, que mata por ciúme, sentimento de traição ou vingança”. Um policial que preferiu preservar pela sua identidade relatou que o aposentado é uma pessoa ‘problemática’. Ele disse que o crime foi um ato de desespero do ex-policial.

DEIXE UMA RESPOSTA