Aplicativo com taxistas licenciados pode ser baixado e acessado por munícipes

69

Wagner Gonçalves

Na era tecnológica em que smartphones já fazem parte do dia a dia das pessoas, empresários e prestadores de serviços mobilizam-se para acompanhar o avanço. Para tanto, o número de aplicativos para compras on-line tem crescido na mesma proporção. Recentemente, a capital paulista foi cenário de conflitos entre a categoria de taxistas e prestadores do aplicativo Uber. Apesar da imagem negativa que o episódio trouxe à utilização dos dispositivos para solicitar o serviço de taxi, existem aplicativos que contam com taxistas licenciados para atuar.

Rio Claro conta com 122 pontos de taxistas distribuídos pela cidade, para chamá-los é preciso ligar em uma dessas bases, ou contatá-los diretamente, sendo raras as ocasiões em que, nos bairros periféricos, os motoristas buscam por clientes conforme destaca uma usuária: “utilizo às vezes, mas acredito que a cidade tenha que dispor de pontos mais acessíveis”, comentou Cássia Botelho que, por vezes, acaba por utilizar sempre o mesmo taxi.

O chamado ProTaxi pode ser acessado tanto por taxistas como por usuários, que podem encontrar o veículo mais próximo
O chamado ProTaxi pode ser acessado tanto por taxistas como por usuários, que podem encontrar o veículo mais próximo

Apesar de não utilizar o celular para tais fins, para Cássia a ideia de localizar um taxi apenas com um aplicativo é muito interessante e tenderia a minimizar o problema mencionado. Com o celular em mãos, o jovem taxista Tiago Augusto aprova a ideia da utilização de um aplicativo para viabilizar o serviço. “Em São Paulo, as pessoas não sabem de onde vêm os motoristas, mas por outros aplicativos, como o 99 Taxi, a situação é diferente”, conta Augusto sobre haver mais segurança aos usuários.

Nas grandes cidades é comum se deparar com pessoas que acionam o taxi por meio do celular. No entanto, em Rio Claro a tendência vem chegando timidamente, mas já ganhou alguns adeptos. O que motivou o analista de sistemas Luís Fernando Pimenta e Francisco Vieira Souza a desenvolver um software específico para o município. Por ser filho de taxista, Pimenta percebeu a demanda para a categoria em atualizar-se e aproveitar os recursos tecnológicos disponíveis.

>>> Sem licença para atuar, motoristas informais afetam transporte na cidade

“Esta é uma forma de facilitar o atendimento, além de conferir segurança ao passageiro, pois só podem se cadastrar os taxistas que possuem licença”, contou o idealizador do aplicativo. O chamado ProTaxi está disponível já há cerca de um ano e meio e é compatível com sistemas Android e iOS, possuindo duas versões, uma destinada ao passageiro e a outra ao taxista. Do total de taxistas, cerca de 60 já baixaram, mas somente 20 acessam e utilizam ativamente. “Ao acessar o App, as pessoas descobrem se o taxi aceita cartão, além de descobrir qual o veículo mais próximo e o tempo de espera”, disse Pimenta.

Para o vice-presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos Rodoviários de Pessoas, Bens e Cargas de Rio Claro (Sintrarc), Gilvon Barbosa, que também é taxista e utiliza o aplicativo diz que está é uma forma legal de agilizar o serviço e por isso deve ser destacada positivamente. “A ideia principal é eliminar a clandestinidade, conferindo segurança e conforto aos munícipes”, disse Barbosa.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: