Ação troca lacres por cadeira de rodas

179

Adriel Arvolea

reciclagem

Juntar lacres de latinhas de bebida. Esse tem sido o objetivo do Lions Club Internacional de Rio Claro. A iniciativa tem cunho solidário e feito a diferença na comunidade. O projeto, idealizado há dois anos, funciona da seguinte forma: o material arrecadado é vendido e com o dinheiro angariado, são compradas cadeiras de rodas em prol do abrigo de amparo à velhice São Vicente de Paulo. Quinze já foram adquiridas desde o início, ao custo de R$ 290,00 cada.

De acordo com o presidente do Lions, Sérgio Luiz Magri, a campanha já arrecadou 1,5 tonelada de lacres. Estes são armazenados em garrafas Pet de dois litros, onde cabem cerca de 2.500. “No último dia 12, por exemplo, tivemos um resultado positivo. Foram entregues pela comunidade 80 garrafas Pet cheias de lacre”, comenta Magri. A recolha dos lacres ocorre, em média, a cada quatro meses. Um local público é definido – Jardim Central, Shopping etc. – para a entrega das doações. A próxima está prevista para julho, em local a ser definido e divulgado na mídia. Apesar do saldo positivo da ação, a tarefa não é das mais fáceis. São necessárias 145 garrafas cheias de lacre para a compra de uma cadeira de rodas.

Início

Magri pesquisou por seis meses a iniciativa antes de colocá-la em prática, a fim de entender a dinâmica da troca de lacres por cadeiras de rodas. Inicialmente, localizou uma empresa em São Paulo, por meio do Hospital Amaral Carvalho, que recolhia o lacre, vendia o material e, com o dinheiro, comprava a cadeira de rodas. Como seria preciso ir a São Paulo levar os lacres e, posteriormente, receber a cadeira, ficaria inviável ao projeto em termos financeiros. “Os gastos com combustível e pedágio seriam mais altos que o valor do equipamento”, conta o presidente. Contudo, a situação foi resolvida em Rio Claro. Uma empresa de reciclagem compra os lacres arrecadados na campanha.

Além disso, a proposta foi idealizada para o São Vicente de Paulo, ou seja, atende exclusivamente o abrigo. “Gostaríamos de ampliar o trabalho para outras entidades. Se o abrigo nos disser que não precisa mais de ajuda, certamente iremos elencar outra instituição”, observa.

Ajuda

Qualquer pessoa pode contribuir com a campanha. Basta juntar os lacres numa garrafa Pet de dois litros. Oportunamente, data e local são divulgados para a entrega das doações. Vale reforçar que a garrafa não precisa estar 100% cheia para ser entregue nos pontos de coleta. Toda colaboração é bem-vinda. “Seja um, quatro ou 2.500 lacres, agradeço a todos que colaboram com o projeto. É um gesto simples que faz a diferença na comunidade. Agradeço aos voluntários que têm nos ajudados, pois sem o empenho de cada um não seria possível chegarmos, em breve, à marca de 17 cadeiras de rodas”, agradece Sérgio Magri.

DEIXE UMA RESPOSTA